Mourinho fala de Tito Vilanova e responde a Rafa Benítez

Dois dias depois de se saber que o treinador do Barcelona teria que voltar a ser operado, o técnico português falou sobre o caso.

Foto
José Mourinho comentou a doença de Tito Vilanova Pedro Armestre/AFP

O português José Mourinho, treinador do Real Madrid, deixou nesta sexta-feira palavras de apoio a Tito Vilanova, técnico do FC Barcelona, e espera que este recupere o mais rápido possível da recaída que sofreu de uma doença na glândula parótida.

“Em coisas como estas, estamos todos do mesmo lado. Quando se fala em problemas de saúde, estamos todos juntos. Espero que Tito e a sua família saiam vencedores o mais rápido possível”, afirmou José Mourinho em conferência de imprensa.

Questionado sobre se teria contactado pessoalmente o treinador do maior clube rival do Real Madrid, Mourinho lembrou que esse é um assunto do “foro privado” e por isso não tem a obrigação de o revelar.

“O que faço em privado, não o torno público. Se o contactei, é algo pessoal. Não tenho que confirmar nem desmentir. Se tenho um companheiro de profissão com um problema, não sou diferente do resto do mundo”, referiu o treinador dos merengues.

Tito Vilanova sofreu uma recaída da doença detectada no ano passado, na glândula parótida, e foi operado na quinta-feira, numa intervenção cirúrgica que, de acordo com o FC Barcelona, decorreu “como o planeado”.   

Mourinho respondeu também a Rafael Benítez, técnico espanhol do Chelsea que, questionado por uma rádio sobre o seu futuro, após a final do Mundial de clubes que o emblema inglês perdeu para o Corinthians (1-0) afirmou: “O meu futuro? Sei coisas, mas não vou dizer nada do Real Madrid, porque acho que não o devo fazer." Uma declaração que foi entendida como uma alusão a mudanças no comando técnico dos merengues.

O treinador português foi corrosivo na reacção: “Não sei onde é que ele quis chegar, nem me interessa, mas, como adepto do Chelsea que sou, espero que durante a final do Mundial de clubes, com o Corinthians, não estivesse a pensar nessas coisas do Real Madrid”.

A equipa brasileira sagrou-se campeã mundial de clubes, ao bater, na final, o Chelsea por 1-0.