Carta de Soares abre guerra entre as “jotas” do PS e PSD

Líder da Juventude Socialista critica homólogo da JSD por ter mandado calar o ex-Presidente da República.

Duarte Marques, líder da JSD, é fortemente criticado pela JS
Foto
Duarte Marques, líder da JSD, é fortemente criticado pela JS Daniel Rocha

A Juventude Socialista (JS) acusou a sua congénere social-democrata (JSD) de “demagogia sem precedentes” e aconselhou o seu líder a “fazer um esforço para terminar o seu mandato com dignidade”.

A JS respondia assim à JSD, que na terça-feira à tarde mandou calar Mário Soares. “Citando o seu amigo Rei de Espanha no pedido ao seu bom aluno Hugo Chávez, perguntamos, mas agora em português: ‘Por que não te calas?’”, dizia a "jota" liderada por Duarte Marques numa missiva enviada ao histórico socialista, em resposta à carta aberta em que o ex-primeiro-ministro e ex-Presidente da República pedia a Passos Coelho que mude de política ou que se demita. A JSD também pede a Soares que abdique dos apoios e isenções fiscais atribuídos à sua fundação.

O secretário-geral da Juventude Socialista considera que Duarte Marques mostrou uma “enorme falta de respeito por um dos políticos mais proeminentes da democracia portuguesa”, ao fazer um “ataque pessoal” a Mário Soares “desprovido de qualquer sentido político”. João Torres, secretário-geral da JS, diz-se “estupefacto” pelo nível de “degradação” do discurso do líder da JSD, de quem diz que está “desorientado e apenas encontra nas acusações populistas palco para uma demagogia sem precedentes”.

No seu discurso, João Torres considera que “o líder da JSD passou da estratosfera para outra galáxia e deve fazer um esforço para terminar o seu mandato com dignidade. Sempre que Duarte Marques toma uma posição pública, a democracia perde.”

“O que está em causa é a discussão de políticas que estão a conduzir o país para o abismo. Foi nesse sentido que a carta aberta foi promovida e foi para mim uma honra poder subscrevê-la”, justifica-se ainda o líder da Juventude Socialista.