André Allen Anjos trocou o Porto por Portland em 2005 DR
Foto
André Allen Anjos trocou o Porto por Portland em 2005 DR

André Allen Anjos: o português que anda a remisturar a música internacional

A morar nos Estados Unidos desde 2005, este jovem produtor já teve a oportunidade de remisturar músicas dos The Shins, Yeah Yeah Yeahs e Bloc Party

Remix Artist Collective (RAC) — decora este nome. São três jovens produtores, sediados nos Estados Unidos, que desde 2007 têm-se dedicado a remisturar músicas de artistas como Bloc Party, Yeah Yeah Yeahs, Lana del Rey e até Lady Gaga. E adivinhem: o fundador é português e chama-se André Allen Anjos.

Hoje reside em Portland, mas já viveu no Porto, a cidade que abandonou em 2005 para rumar aos Estados Unidos. O risco valeu a pena. Conseguiu consolidar uma carreira enquanto produtor e o seu nome já está nos ouvidos de todo o mundo.

Em entrevista ao P3, André conta que “durante dois anos tentou vingar na indústria músical em Portugal mas as suas tentativas nunca deram resultados”, pelo menos a curto prazo. Por isso não hesitou quando teve a oportunidade de continuar os seus estudos no estrangeiro.

PÚBLICO -
Foto
André e Karl Kling, outro dos membros dos RAC Jon Duenas

  

Por cá, André já dominava a arte de fazer remisturas. Mas foi só quando ouviu pela primeira vez os trabalhos do produtor japonês Keigo Oyamada, mais conhecido como “Cornelius”, que sentiu que a remistura era a sua verdadeira paixão. “Os álbuns CM1 e CM2 eram bastante diferentes do que tinha ouvido até então. Eram remisturas mais orgânicas.”


De facto, alguns dos traços criativos de “Cornelius” podem ser sentidos nas remisturas de André, que estão mais direccionadas para a música indie. Por isso, destaca que só “faz remisturas de músicas de dança se assim fizer sentido”, até porque “nem todas as músicas estão destinadas a serem músicas de dança”. O seu objectivo é “complementar a música original e fazer algo interessante com a mesma”.

Dos The Shins aos Radiohead

A primeira remistura dos RAC foi uma estreia em grande: “Sleeping Lessons”, dos The Shins. A oportunidade foi um “verdadeiro golpe de sorte” que só chegou depois de André ter passado cerca de sete meses a enviar e-mails para diversas bandas. Os The Shins foram os únicos a dar uma resposta. 

A partir daqui, o currículo dos RAC começou a aumentar. Seguiram-se os Tokyo Police Club, os Bloc Party, os Ra Ra Riot, os Yeah Yeah Yeahs, os Kings of Leon, a Lana del Rey, os Two Door Cinema Club, os Radiohead, a Lady Gaga e muitos outros. 

Em Maio de 2012, os RAC lançaram pela primeira vez uma música da sua autoria chamada “Hollywood” que conta com a participação de Chris Glover dos Penguin Prison. Este single está a anteceder o tão aguardado primeiro álbum de originais, cujo lançamento está previsto para os primeiros meses de 2013. 

Apesar do sucesso alcançado, as saudades pela terra natal mantêm-se. Contudo, não está nos planos de André voltar para Portugal. Por agora, vai tentar “experimentar novas coisas”, sobretudo com trabalhos musicais compostos de raiz pelos RAC, mas claro que a remistura vai ser algo que “nunca vai deixar de fazer”.