Polémica

Nogueira Leite apagou página no Facebook, mas acabou por repô-la

Nogueira Leite foi nomeado para a comissão executiva da CGD pelo actual Executivo, em Julho de 2011
Foto
António Nogueira Leite lidera petição Miguel Manso

“Se em 2013 me obrigarem a trabalhar mais de 7 meses só para o Estado, palavra de honra que me piro”. António Nogueira Leite reagiu assim, no Facebook, às novas medidas de austeridade. O desabafo chegou à comunicação social e o vice-presidente da Caixa Geral de Depósitos (CGD) apagou a sua página naquela rede social.

A página, porém, esteve inacessível apenas durante algumas horas, acabando por ser reposta.

Na mensagem publicada no Facebook, o economista dizia que 1 de Agosto tinha sido o seu “dia de libertação de impostos”. “Ou seja, até esse dia tudo o que ganhei entreguei ao Estado. É certo que a queda abrupta de salário contribuiu para tal e ninguém me obrigou a mudar de poiso. Isto só no que respeita a impostos directos”. Esta, exclamava, “não é a condição de homem livre”.

“Se em 2013 me obrigarem a trabalhar mais de 7 meses só para o Estado, palavra de honra que me piro, uma vez que imagino que quando chegar a altura de me reformar já nada haverá para distribuir, sendo que preciso de me acautelar”, continuava o economista, que foi um dos principais conselheiros económicos de Pedro Passos Coelho durante a campanha eleitoral.

Nogueira Leite, que foi secretário de Estado do Tesouro e Finanças no último Governo de António Guterres, está na comissão executiva da CGD desde Julho de 2011. Foi nomeado para o cargo pelo actual Executivo. A sua reacção às novas medidas de austeridade juntava-se às de Alexandre Relvas, ex-dirigente social-democrata, da Juventude Social-Democrata e dos Trabalhadores Sociais-Democratas.

Mal foram publicadas nos órgãos de comunicação social, as palavras de indignação de Nogueira Leite começaram a ser muito partilhadas online, sobretudo através das redes sociais. Por volta das 14h, quando o PÚBLICO deu a notícia, a página do economista no Facebook ainda se mantinha activa. Por altura do fim das declarações do ministro das Finanças, Vítor Gaspar, cerca de três horas mais tarde, já se encontrava indisponível. Acabou por voltar a estar online ao início da noite.

O PÚBLICO tentou repetidamente entrar em contacto com António Nogueira Leite, sem sucesso.

Notícia actualizada às 20h53

A página no Facebook foi reposta