Râguebi

Portugal derrota a Espanha e conquista o Algarve Sevens

Portugal venceu a prova no Estádio do Algarve
Foto
Portugal venceu a prova no Estádio do Algarve DR

A selecção nacional de râguebi apurou-se pela quinta vez consecutiva para um Campeonato do Mundo de sevens ao conquistar o Algarve Sevens, prova que serviu de fase de qualificação da zona europeia.

Depois de um primeiro dia de competição com exibições pouco convincentes, Portugal subiu muito de produção neste sábado. No jogo dos quartos-de-final contra a Itália, onde uma vitória garantia um lugar entre os cinco primeiros e o acesso ao Mundial 2013, os portugueses estiveram em excelente nível e ganharam por 28-7, tendo depois derrotado a Geórgia nas meias-finais (19-12) e a Espanha na partida decisiva do torneio (7-5).

Com a qualificação para o Campeonato do Mundo de sevens, que se vai disputar no próximo ano em Moscovo, Portugal termina da melhor maneira uma época onde sagrou-se vice-campeão europeu e garantiu um lugar de equipa residente do Circuito Mundial na temporada 2012-13. No torneio de qualificação para o Mundial 2013, disputado no Estádio do Algarve, Portugal precisava de terminar num dos cinco primeiros lugares, mas com um excelente último dia de competição superou todos os obstáculos até atingir a final do Algarve Sevens.

Depois de um primeiro dia tremido, onde os portugueses sofreram para conseguir um empate com a Itália e sentiram dificuldades para derrotar a Ucrânia, a selecção nacional não falhou no momento decisivo. E o primeiro jogo do dia acabou por ser o mais importante. Após terminar a fase de grupos com o terceiro melhor registo entre as 12 selecções em competição, Portugal reencontrou a Itália (sexto lugar no ranking da prova) nos quartos-de-final e ao contrário do que tinha acontecido na véspera, onde os portugueses embateram no “muro” defensivo transalpino, desta vez a partida foi dominada do princípio ao fim pelo conjunto treinado por Frederico Sousa.

Sem permitir que a Itália conseguisse contra-atacar, Portugal teve quase sempre a posse de bola e com pouco mais de um minuto decorrido chegou ao primeiro ensaio por Duarte Moreira. Perto do intervalo, com o segundo ensaio português, marcado por Diogo Miranda, o jogo ficou praticamente decidido com a vantagem nacional de 14-0. Apesar de estar a vencer por uma margem relativamente segura, Portugal manteve um ritmo elevado nos últimos sete minutos e construiu um triunfo dilatado. Com apenas 43 segundos no segundo tempo, o capitão Frederico Oliveira concluiu com sucesso uma excelente jogada de Adérito Esteves e aumentou para 21-0 e, pouco depois, Luís Sousa fez o quarto e último ensaio português: 28-0. Na última jogada da partida, Ruffolo reduziu a desvantagem italiana para os 28-7.

Com o principal objectivo já alcançado, Portugal defrontou nas meias-finais a Geórgia, a grande surpresa da competição. E mais uma vez a equipa nacional voltou a exibir-se em bom nível. O primeiro ensaio português foi alcançado logo no primeiro minuto, por Francisco Vieira de Almeida, e sem permitir qualquer reacção aos georgianos, Portugal voltou a marcar por Pedro Leal, a grande figura da selecção nacional, e chegou ao intervalo a vencer por 12-0.

No recomeço, apesar de o domínio continuar a ser português, a Geórgia chegou ao ensaio e encurtou a vantagem nacional para apenas cinco pontos (12-7). No entanto, Portugal reagiu de imediato e David Mateus fez o terceiro ensaio (19-7). Nos instantes finais, os georgianos reduziram para 19-12.

Com a vitória, Portugal apurou-se para a final onde defrontou a Espanha, equipa que chegou à última partida 100% vitoriosa. O jogo, com duas partes de 10 minutos, foi muito intenso e disputado até ao último segundo. A primeira parte terminou empatada a zero, um resultado que reflectia bem o equilíbrio entre os dois setes. No segundo tempo, Portugal conseguiu adiantar-se no minuto 14, quando Duarte Moreira aproveitou um passe de Pedro Leal para fugir à defesa espanhola e marcar o primeiro ensaio do jogo: 7-0. Com a partida a ser discutida palmo a palmo, uma placagem falhada na defesa portuguesa permitiu a Rodrigo Herédia marcar o ensaio da Espanha, mas a conversão foi falhada e Portugal manteve-se na frente, agora por apenas 7-5.

Nos instantes finais, os espanhóis ainda tentaram dar a volta ao resultado, mas os jogadores portugueses conseguiram defender bem e seguraram um suado triunfo que garantiu a Portugal a conquista do torneio da fase de qualificação europeia para o Mundial 2013.

Classificação final do Algarve Sevens

1. º - Portugal


2. º - Espanha


3. º - França


4. º - Geórgia


5. º - Escócia


6. º - Itália


7. º - Alemanha


8. º - Ucrânia


9. º - Roménia


10. º - Lituânia


11. º - Bélgica


12. º - Holanda


Sugerir correcção