Lisboa é a “base de trabalho e inspiração” deste workshop r o g e l l e x/ Flickr
Foto
Lisboa é a “base de trabalho e inspiração” deste workshop r o g e l l e x/ Flickr

Critical: Lisbon, estudar a capital como um crítico de arquitectura

Está a decorrer, até sexta-feira, dia 21, o "workshop" "Critical: Lisboa". Que desafios enfrentam os críticos de arquitectura e de que forma os ultrapassam?

“O arquitecto e o público operam em universos ideologicamente díspares na sua procura e desejo comuns de melhorar a cidade.” É esta a ideia que o "workshop" “Critical: Lisbon, Falar à Cidade, Falar com a Cidade”, destinado a estudantes e jovens profissionais interessados em questões de design, arquitetura e assuntos urbanos, vai confrontar a partir de hoje e até ao dia 21, sexta-feira.

Coordenado por Lev Bratishenko, Frederico Duarte e Becky Quintal – e inserido no programa Distância Crítica da Trienal de Arquitectura de Lisboa -, o programa é dedicado à ”expressão, discussão, escrita e publicação crítica sobre arquitectura”.

Lisboa é a “base de trabalho e inspiração” e é lá que os participantes vão explorar os “desafios e obstáculos” colocados habitualmente aos críticos de arquitectura e vão procurar ultrapassá-los, lê-se no programa. 

Ensaios, vídeos, artigos de opinião, fotografias ou entrevistas com arquitectos – os meios usados pelos críticos – vão ser também analisados durante o "workshop".