Futebol

Casa da equipa B do FC Porto fica em Gaia

Pinto da Costa voltou a optar por Gaia em detrimento do Porto para uma infra-estrutura dos "dragões"
Foto
Pinto da Costa voltou a optar por Gaia em detrimento do Porto para uma infra-estrutura dos "dragões" Foto: Luís Efigénio/NFactos

O FC Porto e a Câmara Municipal de Gaia celebraram nesta quarta-feira o contrato-programa de cedência do Complexo Desportivo de Pedroso. O Estádio Jorge Sampaio será a casa da recém-formada equipa B dos “dragões”, que vai disputar a II Liga.

O complexo, que os portistas partilharão, para já, com o Futebol Clube de Pedroso, encontra-se em obras de remodelação, que visam adaptá-lo a requisitos exigidos pelo segundo escalão do futebol português. Não existe ainda uma data definida para a conclusão das obras, pelo que não se sabe se o FC Porto B vai poder lá disputar o seu primeiro jogo em casa, agendado para 19 de Agosto.

Na cerimónia que ontem decorreu na Casa da Presidência do Município Gaia, o presidente do FC Porto, Pinto da Costa, e o presidente da autarquia, Luís Filipe Menezes, salientaram a relação cada vez mais estreita entre o município e o clube. Pinto da Costa referiu o sucesso do Centro de Estágio do Olival – que a 5 de Agosto completa o 10.º aniversário como quartel-general da equipa principal dos “dragões” – como uma das principais razões para a escolha das instalações em Pedroso.

O presidente portista afirmou que existiam várias opções para a escolha da “casa” do FC Porto B, mas que “não faria sentido esta não ser em Gaia”, uma das cidades com mais associados do clube. Pinto da Costa aludiu também às más relações do clube com o presidente da Câmara Municipal do Porto, Rui Rio, afirmando que o facto de não haver “um mínimo de abertura” por parte das “entidades responsáveis” por esta cidade foi outra das razões que levaram o clube a “atravessar a ponte”.

Por sua vez, Luís Filipe Menezes fez questão de sublinhar que o principal beneficiado com este contrato-programa é o município de Gaia, classificando o acordo como mais “uma oportunidade de dinamização política e económica” da cidade.

Sugerir correcção