Lisboa

Largo do Intendente tão diferente quanto árido faz festa para chamar os fregueses

O Largo do Intendente está renovado mas pouco mudou na zona
Foto
O Largo do Intendente está renovado mas pouco mudou na zona Foto: José Fernandes

Uma ópera, e ainda por cima La Bohème, de Pucinni, que retrata a vida de intelectuais proletários em ambiente boémio. Pois sim, vai à cena em Lisboa, na rua, interpretada pela Companhia de Ópera do Castelo, no renovado Largo do Intendente, sexta-feira, a partir das 22h. O acesso é gratuito.

"Intendente - Renasce um Largo para a Cidade" será um programa de dinamização do local, com animação durante todos os fins-de-semana deste mês, que tentará atrair gente para o renovado largo, cuja reabilitação do espaço público há pouco ficou concluída.

O primeiro acto para aquela mudança começou com a instalação de um gabinete de trabalho do presidente da câmara, António Costa, em Abril de 2011, naquele local. A medida foi justificada com a necessidade de destacar a importância da requalificação da zona, e para tal foram feitas obras em parte da antiga fábrica de cerâmica Viúva Lamego, imóvel de interesse público, alugado para o efeito.

Como acto futuro, foi anunciado que aquele largo acolheria a nova sede do Alto Comissariado para a Imigração e Diálogo Intercultural. Mas a promessa não se vai concretizar. Numa conferência de imprensa realizada nesta sexta-feira, António Costa revelou que o Governo “abandonou a ideia” da passagem da sede do ACIDI para o Largo do Intendente.

Inicialmente estava prevista a passagem da sede do ACIDI para um edifício propriedade da imobiliária de capitais públicos Estamo - detida pela Parpública -, que se localiza perto do actual gabinete do autarca socialista. A empresa pública está agora “a decidir como o valorizar” e, segundo o autarca, há já uma universidade “interessada” em usar o espaço para residência de estudantes “mas não há indicação oficial” para a câmara

Enquanto tal não acontece, com as obras de requalificação terminadas, pretende-se que os habitantes da zona, e das redondezas, se aproximem do local, muito diferente no que se refere ao espaço público utilizável, mas também muito árido, onde rareiam as sombras e a água que brota da taça de pedra - como já não acontecia desde os anos 40 do século passado - dificilmente refresca quem por ali passe. Os grandes plátanos que lá existiam foram arrancados e substituídos por outros da mesma espécie, mas ainda muito jovens e despidos de folhagem.

De Boss AC a Camané

Enquanto não há esplanadas ou comércio que abra porta para a novidade urbana, mas se aguarda por mais frutos da actividade do Largo Residências, que dinamizará um laboratório de criação artística e um hostel para o local, avança já amanhã à noite (22h) o primeiro dos muitos espectáculos para cativar os fregueses da Mouraria e, desconfia-se, de redondezas muito alargadas, tal é o cartaz do programa, que o próprio presidente da câmara se encarregará hoje de anunciar.

Para começar, o rapper Boss AC vai atrair as primeiras atenções. No noite de sábado, o coro sinfónico Lisboa Cantat, com o maestro António Victorino d"Almeida. A programação dos domingos é bem mais vocacionada para as famílias, e começa logo cedo, pela manhã, com performances no Largo Residências, e um mercado de troca de livros, CD e DVD, actividades em bicicleta e actuação de dançarinos.

Há muita variedades para as noites musicais. Tanta quanto o podem proporcionar os DJ de música indiana, os Xutos e Pontapés (dia 14), Ricardo Ribeiro e Pedro Jóia (dia 21) e o fadista Camané (dia 28).

Troca-te! Para miúdos

(é mesmo um mercado de troca de artigos e de vestuário para crianças e

Troca-te! Dos pés à cabeça

(outro mercado de troca de roupa e acessórios, mas para adultos), ocorrerão nas tardes de domingo, ficando a de dia 29 a cargo da Banda Sinfónica da PSP, para encerramento do programa.

O teatro estará representado pela companhia O Bando, actualmente sediada em Palmela, que levará à cena (de rua) Ainda não É o Fim, sendo que todos os dias, em exibição permanente, no Largo Residências, estará a exposição Intendente(s), da autoria da francesa Hélène Veiga Gomes.

Percurso turístico do Intendente ao Caldas

Na conferência de imprensa, António Costa revelou ainda que o percurso do Largo do Intendente ao Largo do Caldas, na zona da Mouraria, vai ter um “circuito turístico-cultural” a partir de Setembro, com placas de sinalética e informação definida pelo olisipógrafo Sarmento Marques.

O coordenador do Gabinete de Intervenção Prioritária (GABIP) da Mouraria, João Menezes, citado pela Lusa, disse que o objectivo é que “os turistas, nacionais ou estrangeiros, possam fazer o circuito a pé entre os dois largos”.