Caso do roubo dos gravadores

Ricardo Rodrigues condenado a pagar 4950 euros

Deputado socialista foi condenado a pagar multa de 4950 euros
Foto
Deputado socialista foi condenado a pagar multa de 4950 euros Foto: Miguel Manso

O deputado socialista Ricardo Rodrigues foi condenado a 110 dias de multa de 45 euros por dia, o que perfaz 4950 euros. Rodrigues foi considerado culpado no caso do roubo dos gravadores aos jornalistas da revista Sábado.

Ricardo Rodrigues foi condenado pelo crime de atentado à liberdade de imprensa e um crime de atentado à liberdade de informação.

A juíza declarou que estava convicta de que a atitude do deputado – no momento em que estava a responder a uma entrevista da Sábado, em Abril de 2010, no Parlamento, e decide guardar nos bolsos os gravadores dos jornalistas Fernando Esteves e Maria Henriques Espada – foi despoletada pelas perguntas sobre um caso de pedofilia nos Açores, o chamado caso Farfalha, com o qual Ricardo Rodrigues já declarou não ter qualquer relação e que o tema lhe causava repulsa, mas tal não serve de atenuante, nem de explicação para o crime que foi cometido.

À saída do tribunal, esta terça-feira, em Lisboa, Ricardo Rodrigues não quis prestar declarações. A sua advogada, Maria Flor Valente, informou que vai apresentar recurso porque a sentença não foi consentânea com a prova produzida em audiência.

No processo, o Ministério Público considerou que Ricardo Rodrigues cometeu o crime de que vinha acusado na forma tentada, pedindo uma pena de multa. Em defesa, o deputado justificou o furto como sendo “o único meio de prova eficaz” no sentido de comprovar uma alegada tentativa dos dois jornalistas em “denegir a sua imagem pública”.

Depois de Ricardo Rodrigues ter ficado com os gravadores, foi nomeado para o Conselho Geral do Centro de Estudos Judiciários, e integra, actualmente, a Comissão Parlamentar para a Ética, a Cidadania e a Comunicação, na condição de suplente.

Notícia actualizada às 15h51 e às 16h05 foram acrescentadas as declarações à saída do tribunal