Relatório

Preço dos combustíveis antes de impostos é o terceiro mais alto da UE

Uma das quatro principais petrolíferas nunca baixou preços no primeiro trimestre
Foto
Uma das quatro principais petrolíferas nunca baixou preços no primeiro trimestre Foto: David Clifford (arquivo)

O preço médio da gasolina e do gasóleo antes de impostos em Portugal foi o terceiro mais elevado entre os 27 países da União Europeia no primeiro trimestre do ano, revela o estudo de acompanhamento de mercado da Autoridade da Concorrência relativo ao primeiro trimestre de 2012.

Ao longo do primeiro trimestre, o preço médio da gasolina de 95 octanas foi de 1,6341 euros por litro, e o do gasóleo de 1,457 euros, o que representa subidas de respectivamente 6,2% e 4,1% face ao período de Outubro a Dezembro do ano passado.

Estes valores são respectivamente os oitavo e 11.º mais elevados entre os 27 países da UE, mas os preços antes de impostos foram os terceiros mais elevados no primeiro trimestre em ambos os casos, tendo ficado em respectivamente 0,741 euros e 0,818 euros. Na gasolina, os preços mais caros antes de impostos foram praticados na Dinamarca (0,78 euros) e Espanha ( 0,744 euros). No gasóleo, o preço mais caro era na Finlândia (0,854 euros) e o segundo mais caro é na Grécia (0,835 euros).

Preços semelhantes

No primeiro trimestre deste ano, as quatro principais petrolíferas a operar em Portugal (Galp, BP, Cepsa e Repsol) continuaram a praticar preços semelhantes de venda de gasolina e gasóleo nos postos de abastecimento, revela o estudo da Autoridade da Concorrência.

Nesse período, duas daquelas empresas alteraram os seus preços da gasolina mais do que uma vez por semana, e houve uma (não identificada no relatório) que nunca o baixou ao longo das 13 semanas do trimestre. No total, houve 63 subidas e 20 descidas de preços nas gasolineiras destas petrolíferas; a maior subida registada foi de nove cêntimos e a maior descida de sete cêntimos.

No caso do gasóleo, três daquelas quatro empresas alteraram o preço mais do que uma vez por semana. Houve 32 subidas e 15 descidas nas gasolineiras das petrolíferas.

Neste período, os hipermercados com postos de combustíveis tiveram preços de gasolina e de gasóleo quase 13 cêntimos (12,7) por litro mais baixos do que a média dos quatro principais operadores, revela o mesmo documento.

Hipermercados ultrapassaram petrolíferas

Um estudo da Associação Portuguesa de Empresas e Distribuição revela que no primeiro trimestre do ano os postos de abastecimento dos hipermercados ganharam quota de mercado a ultrapassaram os das petrolíferas.

Face ao primeiro trimestre do ano passado, Ana Trigo Morais, directora da APED citada pela rádio TSF, nota um decréscimo de 10% no consumo dos automobilistas particulares, também uma redução do número de clientes significativa.