Fotogaleria
Todas as peças da marca têm uma assinatura escondida
Fotogaleria
DR

Estilista de 26 anos cria própria marca, a Punch Couture

Mariana Fonseca viveu em Paris e trabalhou com marcas como Cacharel e Sonia Rykiel, onde aprendeu a logística do mundo da moda. Aos 26 anos, criou a própria linha de roupa feminina

Todas as peças de roupa têm um brilhante — funciona como uma assinatura. Quando a estilista portuense Mariana Fonseca, de 26 anos, vê a pedrinha aplicada sobre o tecido, entusiasma-se e diz: “É um vestido meu”. Assim são as peças de autor da Punch Couture, uma marca criada em 2011 pela jovem estilista portuense.

Anova marca de vestuário tem casa na Rua do Rosário, no Porto. Bem de propósito, a Punch Couture situa-se naquela que é a zona mais artística do Porto – a Rua Miguel Bombarda e arredores – desde 2011 e traz até às mulheres colecções que pretendem reinventar a moda de uma forma romântica, "trendy" e totalmente portuguesa. “Quero vestir as pessoas de hoje em dia”, diz Mariana ao P3.

A paixão pela moda acontece “desde sempre” e a sua formação na área incluiu estudos no Citex — Centro de Formação da Indústria Têxtil —, na Academia de Moda (Artes Técnicas do Porto) e no CIVEC — Centro de Formação Profissional da Industria de Vestuário e Confecção —, em Lisboa. Pequeno apontamento: viveu em Paris e trabalhou com marcas como Cacharel e Sonia Rykiel (mas não na área criativa), experiência de onde retirou algum “conhecimento sobre a logística" no mundo da moda.

PÚBLICO -
Foto
A Punch Couture situa-se naquela que é a zona mais artística do Porto

O nome da marca, esse foi imaginado numa conversa de café com as amigas que são a suas principais críticas. Entre sugestões como “kick” e “punch”, este último venceu a batalha por um nome que se pretendia arrojado e diferente.

PÚBLICO -
Foto
A estilista Mariana Fonseca tem 26 anos e estudou moda em Lisboa e no Porto

A decoração da loja

Um candelabro, que bem podia pertencer a um salão de uma casa senhorial do século XVIII, e um carrinho de chá são os apontamentos mais românticos do espaço, na opinião de Rita Lima. Licenciada em Design de Interiores pela ESAD, a jovem de 25 anos foi desafiada pela amiga e criadora para projectar o espaço. Naquele que foi o seu primeiro trabalho ligado à moda têxtil, juntou o rústico da madeira à modernidade de outros materiais e adaptou o interior da loja ao conceito que a marca defende: incorporar o vintage no romântico.

Além de loja, é também ateliê e galeria. Não importam as idades quando se fala em público-alvo, uma vez que existem peças que já serviram corpos adolescentes e corpos de meia-idade.

Quem deseja um serviço personalizado pode também contar com a criatividade da Mariana da Fonseca para uma peça exclusiva, e quem pretende expor naquele espaço os seus quadros ou obras artísticas, só tem de entrar e mostrá-las (na esperança que estas sirvam o conceito da Punch Couture), uma vez que neste espaço não se esquecem outras artes.