A Primavera começou no Parque da Cidade

Entre sol e ameaças de chuva, o Optimus Primavera Sound instalou-se no Parque da Cidade. Aqui ficam, em vídeo, as primeiras horas

Foto
António Abreu

3, 2, 1... "Go"! Abrem-se as portas e há dois, três, cinco que correm, esbaforidos, pelo recinto quase vazio do Parque da Cidade. O Optimus Primavera Sound começou e isso parece ser razão suficiente para dar ao pé, mesmo que os concertos só comecem daqui a uma hora. 

Andámos pelo festival durante as quatro primeiras horas. Deu para ver que os StopEstra! encheram (literalmente) o palco, os Bigott não deixaram ninguém quieto e que Atlas Sound concedeu um pôr-do-sol perfeito. Mais se seguiu: Yann Tiersen, The Drums, Suede, Mercury Rev e The Rapture. E pensar que o primeiro dia foi só o aquecimento. 

Há sotaques de todo o mundo. Português e espanhol, claro, mas também alemão, brasileiro, inglês e quem sabe o que mais. Por todo o lado, pessoas de todas as idades e feitios. Novos, idosos, "hipsters", góticos ou miúdos que mais parecem saídos da escola. O sol da tarde aguçou o espírito familiar — olha ali uma bebé, de chupeta na boca, com "headphones" cor-de-rosa para se proteger do ruído!

Foto
Atlas Sound António Abreu

A relva servia de leito casual para quem tinha acabado de chegar. Uns pingos de chuva caem, nova ameaça de aguaceiros — e então? Há-de passar. A Primavera chegou ao Parque da Cidade e lá dura até sábado; domingo é no Hard Club e na Casa da Música. Amanhã há mais Optimus Primavera Sound: com sol, espera-se, e com Wilco, Rufus Wainwright, Yo La Tengo, The Flaming Lips, The Walkmen e companhia.