Luísa Sobral DR
Foto
Luísa Sobral DR

Guimarães 2012: concertos de 20 minutos ao domicílio com “Mi casa es Tu casa”

Iniciativa proposta por Fernando Alvim realiza-se hoje, sábado, durante a tarde. Luísa Sobral, Best Youth, We Trust e Samuel Úria, entre outros, vão entrar pelas casas da cidade

Trinta e duas casas vimaranenses recebem 90 momentos musicais intimistas de “músicos reconhecidos” e da Fundação Orquestra Estúdio, hoje, sábado, o dia em que a Capital Europeia da Cultura Guimarães 2012 declara que “Mi casa es Tu casa”.

Luísa Sobral, Best Youth, We Trust, Samuel Úria, Virgem Suta e Anaquim são alguns dos que, acompanhados por músicos da Fundação Orquestra Estúdio, entrarão pelas casas de Guimarães, levando assim a Capital Europeia da Cultura (CEC) à “intimidade dos vimaranenses”, revelou à Agência Lusa Hélder Sousa, da organização do evento.

A iniciativa “Mi casa es Tu casa”, proposta à Fundação Cidade de Guimarães por Fernando Alvim, encontrou “âncora” na Fundação Orquestra Estúdio e no desejo da organização da CEC de aproximar o evento às pessoas. “Um dos objectivos é fazer chegar a programação de Guimarães 2012 a cada vimaranense, a cada pessoa”, explicou.

PÚBLICO -
Foto
Virgem Suta DR

Segundo Hélder Sousa, o desafio lançado à cidade foi o de que esta “abrisse as portas das suas casas a músicos e ao público anónimo”, fazendo, assim, um “Guimarães 2012 de todos”. Além disso, “Mi casa es Tu casa” pretende “proporcionar momento musicais únicos, intimistas, num formato completamente inovador”.

Ninguém sabe quem vai bater à porta

Ao todo, vão ser 32 casas que se transformaram “na casa de todos nós”, explicou, ressalvando que “com as devidas lotações”. De meia em meia hora, uma família vimaranense abrirá as portas para um concerto de 20 minutos, mas “não saberá que músico lhe entrará pela porta”, criando surpresa e expectativa numa espécie de “blind date” musical.

A oferta de palcos foi “muito e variada”, segundo este responsável, pelo que a organização teve que adequar as casas disponíveis às necessidades dos músicos e ao desenho de um mapa para permitir a circulação a pé entre as casas. “Os músicos não podiam andar de casa em casa com um piano às costas”, explicou. Estas “contingências” exigiram um estudo de cada casa que se propôs a abrir as portas, “até por uma questão de segurança”. Para cada sala foi estabelecido pela organização uma “lotação máxima”, mas “será o anfitrião da casa a decidir quem entra ou não”.

O “Mi casa es Tu casa” compreende ainda uma “partilha de experiências artísticas e culturais”, a decorrer também na tarde de sábado, no “Centro de Artes e Espectáculos São Mamede”. O mapa das casas aderentes à iniciativa está disponível na página da Fundação Cidade de Guimarães, mas sem os nomes dos músicos que vão actuar. “Divulgar quem vai onde estragava o efeito surpresa”, explicou Hélder Sousa.