A pouca adesão à primeira fase foi explicada pelas associações académicas por o calendário ter sido apertado *Bloco/Flickr</b
Foto
A pouca adesão à primeira fase foi explicada pelas associações académicas por o calendário ter sido apertado *Bloco/Flickr

Governo lança novo concurso para bolsas no superior

Serviços admitem seis a nove mil novos bolseiros. Candidaturas podem ser feitas até final do mês

Candidaturas podem ser feitas até final do mês apenas pelos alunos que entraram pela primeira vez este ano. Serviços admitem seis a nove mil novos bolseiros. Começa hoje, dia 16, uma nova fase de candidatura a bolsas de estudo para os estudantes do ensino superior, que é a última oportunidade para milhares de estudantes acederem à acção social.

Entre seis a nove mil alunos podem passar a ter bolsa, antecipam os responsáveis dos Serviços de Acção Social (SAS), que vão apostar numa divulgação mais próxima dos alunos para facilitar o esclarecimento. 


A primeira fase de acesso, que coincidiu com o momento da inscrição nas universidades, teve uma menor procura do que o habitual. Na Universidade do Minho, uma das maiores do país e a primeira a concluir o processo de análise das candidaturas, houve uma redução de quase 750 estudantes.

 

Mais candidatos do que lugares

Há um ano, dois mil alunos requereram bolsa de estudo naquela instituição, o que leva o administrador dos SAS, Carlos Silva, a admitir que cerca de mil alunos vão apresentar candidatura nos próximos dias.


Noutras instituições, o impacto da primeira fase de candidatura não foi tão grande. Na Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro foram submetidas 788 candidaturas, menos 220 que no ano lectivo anterior. Já no Instituto Politécnico de Leiria a quebra foi de 3,75%, para um total de 1352 candidatos.


Face a estes números, cerca de 12 mil estudantes podem candidatar-se a partir de hoje a bolsas de estudo, pelo que seis a nove mil estudantes podem entrar no sistema de Acção Social.

Primeira fase com pouca adesão

A pouca adesão à primeira fase foi explicada pelas associações académicas por o calendário ter sido apertado e por ter havido problemas de divulgação das regras de candidatura junto dos estudantes que pela primeira vez ingressaram no superior. Desde então, os dirigentes das principais estruturas estudantis exigiram a abertura de um novo período de candidaturas, num protesto a que se juntou a JSD e a que, mais tarde, todos os partidos viriam a dar razão, com uma resolução na Assembleia da República aprovada por unanimidade.


Para evitar novos problemas, os SAS das várias universidades estão a apostar em fazer chegar a informação a todos os alunos e, desde a semana passada, enviaram e-mails aos estudantes do primeiro ano e deram destaque à nova fase de candidatura nas suas páginas de Internet.


Esta nova fase de candidatura prolonga-se até 31 de Janeiro e destina-se apenas aos estudantes que se estrearam este ano no Ensino Superior e que não tenham apresentado o respectivo requerimento durante a primeira fase. A candidatura é feita exclusivamente na plataforma da Direcção-Geral do Ensino Superior na Internet.