I Liga

Os golos bonitos de James acabaram com alguma angústia do FC Porto

James Rodríguez apontou os dois golos da partida
Foto
James Rodríguez apontou os dois golos da partida Foto: Lui´s Efigénio/NFactos

Quando existiam ainda muitas dúvidas quanto ao resultado, principalmente depois de perder Hulk, um dos seus elementos mais decisivos, o FC Porto encontrou em James a estrela que acabou com a resistência do Rio Ave. O jovem colombiano dotado de uma técnica apurada e boa capacidade de passe, aparece muitas vezes a finalizar e foi o que aconteceu neste sábado, numa partida em que os portistas nunca conseguiram, durante a primeira parte, assumir por completo o domínio do jogo. Só na segunda metade.

James acabou com todas as angústias portistas frente a um Rio Ave que teve a virtude de nunca se encolher demasiado. Um bonito golo, pouco antes do intervalo, abriu caminho ao 54.º jogo consecutivo dos portistas sem perderem para a Liga.

O Rio Ave nunca colocou todos os seus jogadores à frente da baliza de Huanderson. Procurou estender o jogo até à baliza do adversário. Mas, mais uma vez, faltou-lhe algo na frente de ataque, apesar de o primeiro lance mais vistoso do encontro lhe ter pertencido, aos 36’, num remate a que Helton teve que se opor com dificuldade.

Sem Moutinho, a equipa portista perdeu ainda outra das suas referências mais importantes, quando Hulk, aos 30’, se lesionou e foi substituído por Kléber. Um contratempo para Vítor Pereira que está habituado a ver o brasileiro salvar a equipa frente a adversários muito compactos. Mas no plantel portista existe um jovem que se vai afirmando como uma verdadeira estrela para o futuro: James. E foi o colombiano quem deu algum descanso às bancadas. O jovem avançado recebeu um passe de Cristian Rodríguez, dobrou por completo Tiago Pinto e depois, descaído sobre a direita, com a classe que se lhe reconhece, rematou em arco contornando o guarda-redes Huanderson. Um golo espectacular que disfarçou alguma incapacidade de posse de bola.

Como acontece normalmente nestes jogos nunca se sabe muito bem o que pode acontecer, principalmente quando o emblema mais poderoso não consegue assumir em definitivo o controlo de jogo. O FC Porto teve, aos 45’, uma boa oportunidade de golo com Cristian Rodríguez a obrigar o guarda-redes adversário a uma boa defesa. Mas logo na resposta, o veterano João Tomás teve um passe que deixou isolado Yazalde, mas o avançado com o mesmo nome do famoso ex-goleador do Sporting, arrancou como se fosse movido a diesel e entregou a bola a Helton. Incompreensível.

O lance mostrou que os homens de Vila do Conde estavam longe de entregar um jogo em que Carlos Brito procurou dar maior capacidade ofensiva à equipa com o adiantamento de Jorginho, que passou a dar outro apoio a João Tomás.

James procurou, com um passe notável, isolar Kléber, mas o brasileiro não conseguiu superar Huanderson. Mas foi o sinal de que nada seria como antes. O FC Porto conseguiu finalmente encostar o adversário às cordas, com a subida de forma de Fernando, e o segundo golo esteve, por várias vezes, muito próximo. Surgiria já na ponta final do encontro, de novo por James, antes de Rolando ser expulso por travar em falta João Tomás, quando este se isolava.


POSITIVO e NEGATIVO

+


James
Tem apenas 20 anos, mas é claramente um jogador com qualidades imensas. Foi ele quem acabou com a angústia de uma equipa que parecia incapaz de se libertar do pragmatismo táctico do adversário. A tudo isto somou ainda alguns passes primorosos, nem sempre bem aproveitados pelos companheiros.

Cristian Rodríguez
Foi dos jogadores que mais fez por rasgar o sistema defensivo dos forasteiros. Conseguiu uma boa exibição e entendeu-se de forma primorosa com Álvaro Pereira, outra boa exibição.

-


Yazalde
O avançado teve uma oportunidade de ouro para empatar o jogo. Mas ele, que tem como principal característica a velocidade, arrancou devagarinho e na cara de Helton falhou. Um pecado que manchou a boa exibição do jogador em toda a primeira parte.

Primeira parte do FC Porto
Nunca conseguiu colocar verdadeiramente a sua qualidade em campo. Nunca descansou verdadeiramente os adeptos.
Ficha de jogoFC Porto, 2
Rio Ave, 0

Jogo no Estádio do Dragão, no Porto.Assistência
24.419 espectadores.

FC Porto

Helton, Maicon, Rolando, Otamendi, Álvaro Pereira, Belluschi (Iturbe, 65’), Fernando, Defour, James Rodríguez, Hulk (Kléber, 32’) e Cristian Rodríguez (Varela, 76’).

Treinador

Vítor Pereira.

Rio Ave

Huanderson, Jean Sony, Gaspar, Jeferson, Tiago Pinto, Bruno China, Wires, Jorginho (Braga, 58’), Kelvin (Mendes, 70’), João Tomás e Yazalde (Saulo, 80’).

Treinador

Carlos Brito.

Árbitro

Marco Ferreira, da Madeira.

Amarelos

Maicon (49’), Gaspar (53’), Bruno China (61’) e Iturbe (83’).

Vermelho directo

Rolando (90’+4’).

Golos

1-0, por James Rodríguez, aos 42’; 2-0, por James Rodríguez, aos 80’.

Notícia actualizada às 22h56