Burnay parte agora para o Canadá, mas o atelier CVDB continuará activo em Portugal DR
Foto
Burnay parte agora para o Canadá, mas o atelier CVDB continuará activo em Portugal DR

Diogo Burnay vai dirigir escola de arquitectura no Canadá

“Sair do país não tem nada a ver com a crise actual", diz o arquitecto português, seleccionado para liderar unidade da Universidade de Dalhousie, em Halifax

O arquitecto português Diogo Burnay vai dirigir a Escola de Arquitectura da Universidade de Dalhousie, em Halifax, no Canadá, depois de ter sido seleccionado entre outros três finalistas num concurso internacional.

Diogo Burnay candidatou-se no ano passado ao lugar de director da Escola de Arquitectura da Universidade de Dalhousie, em Halifax, e em Agosto foi seleccionado de uma “short-list” que integrava ainda um arquitecto norte-americano, um italiano e um norueguês.

Trabalhar fora de Portugal não é uma novidade para este arquitecto de 46 anos que fundou, em 1999, em Lisboa, ao lado de Cristina Veríssimo, o atelier CVDB. Burnay já esteve em Macau, deu aulas na Universidade de Hong Kong e também em várias universidades nos Estados Unidos, nomeadamente no College of Architecture and Landscape Architecture da Universidade de Minnesota.

PÚBLICO -
Foto
Centro Cultural do Cartaxo, uma obra de 2005 do atelier CVDB Fernando e Sérgio Guerra

Burnay não parte por causa da crise

“Sair do país não tem nada a ver com a crise actual. Claro que sentimos bastante a crise porque trabalhamos muito em obras públicas e a capacidade do Estado em investir em escolas, museus e outros equipamentos está a diminuir drasticamente”, disse o arquitecto à agência Lusa.

“O que me motivou foi a oportunidade. Pensei sobretudo naquilo que eu posso experimentar e aproveitar desta experiência” à frente de uma escola de arquitectura que “possui uma qualidade acima da média e tem poucos alunos, cerca de 200”, justificou Diogo Burnay.

Nascido em Lisboa, em 1965, estudou Arquitectura na Faculdade de Arquitectura da Universidade Técnica de Lisboa, onde foi docente entre 1997 e 2011, fez o mestrado em Arquitectura na Bartlett School of Architecture da University College, em Londres, e trabalhou no atelier Building Design Partnership, entre 1988 e 1992.

Em 1999 criou em Lisboa, com um grupo de arquitectos, o atelier CVDB Arquitectos, no qual tem desenvolvido projectos sobretudo ligados à comunidade, como centros de dia, bibliotecas e museus, em resultado de concursos públicos. O atelier vai continuar a funcionar normalmente, sendo gerido por Cristina Veríssimo e Tiago Filipe Santos, adiantou Burnay ao P3.

“O que me seduz muito nesta profissão é a possibilidade de, através dos projectos, desenvolver uma ligação à comunidade”, comentou o arquitecto que se lançará em breve numa nova fase da vida profissional à semelhança do arquitecto português Pedro Gadanho, que esta semana assume funções de curador do Departamento de Arquitectura e Design do Moma (Museu de Arte Moderna de Nova Iorque).

Diogo Burnay partilha um projecto com Pedro Gadanho em Torres Vedras intitulado Espaço Transforma, que consiste na recuperação e reconversão de um conjunto de imóveis situados no centro histórico da cidade.