Euro 2012

Objectivo foi conseguido, mas sem brilho e com muitos erros e sustos à mistura

Ronaldo não marcou
Foto
Ronaldo não marcou Miguel Vidal/Reuters

Paulo Bento somou, frente à Islândia, a quinta vitória (5-3) consecutiva em jogos oficiais e Portugal até pode perder na terça-feira, na Dinamarca, e apurar-se na mesma para o Europeu como melhor segundo classificado, caso a Suécia não consiga derrotar a Holanda. Para não ficar dependente de ninguém, bastará a Portugal empatar. Mas, para isso, terá que melhorar o rendimento de uma defesa demasiado remendada. E também não se perderá nada se jogar um pouco melhor.

A Islândia saiu ao campo num surpreendente estado de excitação. Como se estivesse com pressa de mostrar que esta equipa rejuvenescida com vários elementos da selecção de sub-21 (apurada para o último Europeu, ao contrário de Portugal) vale claramente mais do que costuma ser o seu valor facial. E não demorou a prová-lo. Aos sete minutos, só não marcou porque Rui Patrício respondeu com uma defesa extraordinária ao cabeceamento de Jonsson. Importa referir que tudo nasceu de um lançamento lateral de Aron Gunnarson. Ora, em qualquer estudo mais rudimentar da selecção islandesa tem de constar que esse é precisamente o ponto forte deste médio que joga nos galeses do Cardiff... A verdade é que a Islândia teve, logo de seguida, um lance desperdiçado escandalosamente por Jonasson. E, ao oitavo minuto, já tinha conquistado oito cantos.

O arranque espumoso dos islandeses, que se apresentaram distribuídos num pouco habitual 4x2x3x1, foi interrompido pelo golo de Portugal, que marcou (13’) no seu primeiro remate. Na sequência de um canto, Nani marcou com um desvio subtil de cabeça, após um cruzamento bem medido de Eliseu, que acabou por ser o escolhido para substituir Fábio Coentrão.

Depois de um início em que lhe custou fazer os deveres, não foi difícil a Portugal encontrar os caminhos certos, embora sem a precisão e o ritmo dos melhores dias. Bruno Alves já tinha ido à direita cruzar para a entrada tardia de Postiga e Ronaldo já tinha trocado de chuteiras e rematado com perigo quando Nani aproveitou uma passe desastrado do capitão Jonsson para fazer o segundo golo. O décimo que marca com a camisola da selecção.

O avançado do Real Madrid treinou pouco nos últimos dias e os efeitos das mazelas podem ajudar a explicar a exibição menos conseguida. Aos 27’, só não marcou porque o guarda-redes islandês respondeu com uma boa estirada, mas logo a seguir foi Ronaldo a errar em demasia o alvo.

Portugal conseguia, aqui e ali, alguns bons nacos de futebol, mas a Islândia não desistia de tentar surpreender, quase sempre através de Sigurdsson, que tem apenas 22 anos, mas já joga de cartola no meio campo. E tem um belíssimo remate, como mostrou ao minuto 32’, fazendo a bola passar a um palmo do poste, após mais um lance em que Eliseu sentiu dificuldades no corredor esquerdo.

Mas, após uma defesa do guarda-redes da Islândia a remate de Carlos Martins, Portugal alargou a vantagem. A um minuto do intervalo, Bruno Alves foi à direita cruzar e, desta vez, Postiga respondeu como se exige a um ponta-de-lança, com a bola a beijar a barra antes de entrar.

Portugal tinha conseguido marcar dois golos na sequência de lances de bola parada e outro fruto de uma fífia de um adversário. Tudo parecia resolvido, até porque o segundo tempo recomeçou com uma “bomba” de Ronaldo à trave. Puro engano. Em oito minutos, a Islândia marcou dois golos, muito parecidos e com os mesmos protagonistas. O primeiro surgiu na sequência de um livre: Jonsson assistiu de cabeça e Jonasson cabeceou para o fundo da baliza de Patrício. O segundo nasceu de um canto: Jonsson voltou a cabecear, mas desta vez Jonasson marcou de calcanhar.

Começava a pairar no estádio a possibilidade de Portugal voltar a ficar no atoleiro em que havia caído frente a Chipre. Paulo Bento já tinha feito entrar Miguel Veloso para o lugar de Meireles (em risco de ficar de fora do jogo na Dinamarca). O ex-sportinguista não entrou nada bem, nas Portugal lá se foi reerguendo com o apoio de um público que, em boa parte, não costuma ir ao futebol e não percebeu estar iminente um escândalo. Eliseu cruzou primeiro para João Moutinho se estrear a marcar pela selecção e, depois, foi o próprio jogador do Málaga a apontar um golão e... de pé direito.

Mas Rolando ainda cometeria o penálti que iria, nos instantes finais, permitir à Islândia marcar o seu terceiro golo, algo que a selecção nórdica não conseguia desde 2 de Setembro de 2006...

PositivoNani

O jogador do Manchester United marcou dois golos e já soma quatro na fase de apuramento, tantos como Cristiano Ronaldo. E ontem participou nos melhores lances de Portugal.


SigurdssonOs golos da Islândia nasceram da sociedade entre Jonsson e Jonasson, mas este jovem médio de 22 anos foi aquele que mostrou mais categoria.

NegativoDefesa de Portugal

Sofrer três golos em casa de uma selecção como a Islândia é quase tão escandaloso como sofrer quatro de Chipre... As diversas alterações no quarteto defensivo custaram caro, mas também houve incompetência na forma como Portugal lidou com o jogo aéreo dos nórdicos. Salvou-se Patrício. Eliseu assistiu para dois golos e marcou um golaço. Mas defendeu tão mal...


Ficha de jogo

Portugal


5

Islândia


3

Jogo no Estádio do Dragão, no Porto. 
Assistência
35.715 espectadores.

Portugal

Rui Patrício, João Pereira, Bruno Alves, Rolando, Eliseu, Raul Meireles (Miguel Veloso, 60’), João Moutinho, Carlos Martins (Ruben Micael, 72’), Nani, Cristiano Ronaldo e Hélder Postiga (Nuno Gomes, 88’).

Islândia

Magnusson, Savarsson, Jonsson, Sigurosson, Valgarosson, Gunnarsson (Vilhjalmsson, 89’), Jonasson, Gumundsson (Finnbogasson, 81’), Sigurdsson, Bjarnason e Gislason (Finnbogasson, 89’).

Árbitro

Hendrikus Nijhuis (Holanda). 


Amarelos

Birkir Savarsson (36’), Carlos Martins (60’) e Rolando (90+4’).

Golos

1-0, por Nani, aos 13’; 2-0, por Nani, aos 21’; 3-0, por H. Postiga, aos 44’; 3-1, por Jonasson, aos 48’; 3-2, por Jonasson, aos 68’; 4-2, por João Moutinho, aos 81’; 5-2, por Eliseu, aos 87’; 5-3, por Sigurdsson, aos 90+4’ (g.p.).

Notícia actualizada às 00h16