FC Porto

Distinção do Governo Civil "paga dívida da cidade ao clube", Pinto da Costa

O Governo Civil do Porto atribuiu hoje a medalha de Mérito Distrital ao FC Porto, distinção que o presidente dos “dragões” considerou “o fim da dívida da cidade ao clube que a tem prestigiado, tal como ao País”.

Dirigindo-se ao governador civil do Porto, o líder portista recordou a ausência de qualquer homenagem da autarquia portuense: “O que o senhor fez é muito importante, pois agora ninguém poderá dizer que a cidade não homenageia o seu clube mais representativo”.

Momentos antes, na cerimónia que juntou personalidades civis, políticas e académicas do distrito, o governador civil, António Fernando Moreira, justificou a solenidade da distinção, que decorreu engalanada pelos quatro troféus conquistados esta época: Campeonato, Liga Europa, Taça de Portugal e Supertaça Cândido de Oliveira.

“Num Portugal que, ciclicamente, parece condenado ao abismo da descrença e onde muitos parecem ter gáudio em negar o esforço e o contributo do distrito do Porto e das suas instituições para o prestígio e reconhecimento internacional do País, o FC Porto afirma-se como um exemplo de competitividade, exigência e vontade de vencer”, disse António Fernando Moreira.

Entre os presentes, esteve André Villas-Boas, o treinador que levou os “dragões” à conquista dos quatro títulos e ouviu Pinto da Costa dizer que “o País alarga-se ao FC Porto, sendo exemplo disso os milhares de bilhetes que se venderam em Lisboa para a final da Taça de Portugal”.

“Temos orgulho da nossa cidade, da nossa casa, mas é um prazer ver que os festejos se estendem por Portugal, pelos países de expressão portuguesa, pela Colômbia e até pela Roménia”, disse o presidente do FC Porto, que concluiu: “Este é um clube universal, embora haja quem não o consiga ver assim”.

Entre os presentes, o secretário de Estado da Saúde, Manuel Pizarro, também se referiu, em declarações à Agência Lusa, à ausência de relações entre o presidente da Câmara do Porto, Rui Rio, e o FC Porto.

“Reconhecida a importância nacional e internacional do FC Porto, penso que todos os portuenses anseiam por uma relação mais normal entre a autarquia e o clube, que mais cedo ou mais tarde terá que ocorrer”, afirmou.

Do lado de fora do edifício, centenas de pessoas viram a cerimónia num ecrã gigante e, no final, aplaudiram, vibrantemente, a saída de Pinto da Costa e André Villas-Boas.