Protagonista do FC Porto

Falcao, o goleador resolve e promete ficar

Falcao com a taça que ajudou a conquistar
Foto
Falcao com a taça que ajudou a conquistar Reuters (arquivo)

Madjer, Juary, Derlei, Alenichev, Carlos Alberto, Deco. E, agora, Falcao. O colombiano juntou-se à galeria dos notáveis que marcaram pelo FC Porto em vitórias europeias, com a mais-valia de ter sido o único a acertar na baliza na final de Dublin e de ter elevado para 17 o recorde de golos de um futebolista numa só edição da Liga Europa/Taça UEFA — em rigor, o colombiano até soma 18, porque marcou no play-off ao Genk, embora a UEFA não o integre nestas contas.

Estatísticas à parte, certo é que o voo de Falcao, aos 44 minutos, foi mais uma prova da boa relação do colombiano com as balizas adversárias. E uma evidência das suas qualidades extraordinárias no jogo aéreo, apesar de só medir 1,77m. O golo decisivo valeu-lhe o prémio de melhor em campo e certamente aguçou o interesse dos grandes clubes europeus na sua contratação.

Falcao tem contrato até 2013, mas a claúsula de rescisão de 30 milhões de euros pode torná-lo apetecível quando em causa está um avançado tão profícuo como o colombiano. Mesmo em tempo de crise. E os responsáveis portistas sabem-no, porque há algum tempo que tentam a renovação do contrato, melhorando-lhe o salário e aumentando a claúsula de rescisão para valores mais elevados.

O colombiano até estava a fazer uma época um pouco mais discreta, porque uma lesão obrigou-o a uma paragem no campeonato. Acabou a Liga portuguesa com 16 golos, ofuscado pelos 23 de Hulk e com menos nove remates bem sucedidos do que no campeonato de 2009-10. Só que o desempenho na Europa, especialmente na ponta final da temporada, virou os holofotes para este avançado que o FC Porto contratou em 2009 ao River Plate. Os quatro golos ao Spartak de Moscovo e os cinco ao Villarreal accionaram os radares dos “tubarões” europeus, com Real Madrid e Arsenal a serem os potenciais interessados mais referidos na imprensa.

É que ao sucesso colectivo do FC Porto juntou-se a presença de Falcao no topo da lista dos melhores marcadores não só desta edição da Liga Europa, como também na história da competição: ultrapassou os 15 de Klinsmann em 1995-96.

O golo de Dublin deu enorme uma alegria aos adeptos portistas. Mas a onda de euforia incluiu também um receio de perder a pérola, que totaliza 37 golos nesta época (Hulk tem 35).

Será que Falcao fica? Nas primeiras declarações após o jogo, Falcao fugiu às perguntas sobre a sua continuidade no Dragão, afirmando que o momento é de “desfrutar”. Mas depois deixou a promessa de continuar mais um ano no clube, para alívio dos responsáveis portistas. “É claro que um dia poderei jogar noutros campeonatos, e tenho ambições, mas agora quero desfrutar e ajudar o FC Porto na Liga dos Campeões da próxima temporada”, disse o colombiano, citado pela Reuters. E à Sport TV mostrou disponibilidade para renovar.