Fernando Pessoa
Foto
Fernando Pessoa

Obra revela que Pessoa auferiu dinheiro como astrólogo

A faceta de astrólogo do poeta que chegou a auferir “alguns tostões com a astrologia” é revelada no livro de Paulo Cardoso

A faceta de astrólogo do poeta Fernando Pessoa que chegou a auferir “alguns tostões com a astrologia” é revelada no livro de Paulo Cardoso com vários documentos do espólio pessoano.

Intitulado “Fernando Pessoa - Cartas Astrológicas”, o livro reúne “algumas dezenas das mais reveladoras cartas astrológicas erigidas por Pessoa”, escreve o astrólogo Paulo Cardoso.Jerónimo Pizarro, catedrático nas universidades de Lisboa e de Los Andes (Colômbia) que prefacia a obra, afirmou à Lusa que esta obra “abre novas pistas de investigação, e demonstra como a teoria dos heterónimos é influenciada pela astrologia”.

O autor de “Mensagem” fez a sua carta astrológica e as dos seus heterónimos Alberto Caeiro, Álvaro de Campos e Ricardo Reis. “Todos os horóscopos dos heterónimos apresentam Mercúrio (o planeta da literatura) ” que é também o planeta regente do signo Gémeos a que pertencia Fernando Pessoa, escreve Paulo Cardoso.

O astrólogo realça que os “signos ascendentes” dos horóscopos dos quatro poetas são Água (Pessoa), Fogo (Caeiro), Terra (Campos) e Ar (Reis), ou seja “a família heteronímica detinha a plenitude dos princípios fundamentais da filosofia ancestral”.

Em 1915 Fernando Pessoa inventou um astrólogo, Raphael Baldaya e estabeleceu uma tabela de honorários que variavam entre os 500 e os 5000 réis.Pizarro disse à Lusa que Pessoa “ganhou alguns tostões com a astrologia” e há muitos cartões no espólio guardado na Biblioteca Nacional com indicações de nome, data e hora de nascimento que leva a supor que Pessoa traçava as respectivas cartas astrológicas.