Ex-candidato Bruno de Carvalho prescinde da via judicial

Foto
Carvalho diz que vai voltar a candidatar-se Daniel Rocha

“Discordamos da decisão, mas acatamo-la”, disse Bruno de Carvalho relativamente à decisão do Tribunal Cível de Lisboa de indeferir a providência cautelar interposta pelo candidato na sequência das alegadas irregularidades verificadas na noite eleitoral de 26 de Março. “Poderíamos, é certo, dela recorrer e prosseguir a via judicial encetada. Mas decidimos não seguir esse caminho, tendo exclusivamente em conta os interesses do Sporting”, acrescentou.

O empresário justificou ainda a decisão com “os prazos habituais de decisão dos tribunais portugueses”, já que não seria obtido um veredicto “em tempo útil”. Na opinião de Bruno de Carvalho, tal poderia colocar em causa o futuro do Sporting, “com evidentes prejuízos para o clube”.

Bruno de Carvalho desiste assim de impugnar o acto eleitoral, concentrando-se agora numa “nova missão”: “Uma proposta de alteração aos estatutos que designadamente aumente a participação dos associados na vida do clube, bem como uma proposta de regulamento eleitoral que permita um funcionamento exemplar das futuras assembleias eleitorais”, explicou o empresário numa conferência de imprensa num hotel de Lisboa.

Sublinhando a “honra” que teve em ser candidato à presidência do Sporting, em ter eleito a mesa da assembleia-geral e nos apoios reunidos, Bruno de Carvalho reiterou a intenção de voltar a candidatar-se à liderança do clube em futuras eleições.

Sobre Godinho Lopes, disse que “com certeza cumprirá o seu projecto”. “No último jogo em Alvalade vi que estavam mais pessoas nas bancadas”, elogiou Bruno de Carvalho, destacando também o “discurso diferente” daquele praticado durante as eleições.