Crónica do jogo

37 minutos de ressaca, o resto à FC Porto

Falcao foi a figura do jogo ao apontar três golos
Foto
Falcao foi a figura do jogo ao apontar três golos José Manuel Ribeiro / Reuters

Os portistas demoraram a entrar na partida e pareceram inebriados pelos festejos do título, mas após o golo de Falcao construíram uma vitória robusta contra o Spartak Moscovo por 5-1.

Dublin está mais perto. Uma grande exibição do FC Porto na segunda parte da primeira mão dos quartos-de-final da Liga Europa bastou para a equipa portuguesa golear o Spartak Moscovo por 5-1 e colocar pé e meio nas meias-finais da prova. Falcao foi a estrela da noite ao apontar um hat trick.

Menos de 90 horas depois de terminar a festa do título, o FC Porto entrou em campo para disputar mais uma etapa rumo ao objectivo número 2 da época: a final da Liga Europa. Em relação à partida da Luz, Villas-Boas fez uma troca: Otamendi por Maicon. No resto, tudo na mesma e a certeza deixada pelo treinador que após o título conquistado podiam concentrar-se na prova europeia de forma “mais agressiva”.

O segundo round contra russos na Liga Europa prometia grau de dificuldade elevado. Contra o CSKA, na eliminatória anterior, o FC Porto resolveu o problema sem sobressaltos. Agora, com o Spartak, o quebra-cabeças parecia mais exigente. Com forte influência brasileira, os moscovitas realizaram uma boa campanha na Liga dos Campeões e nos oitavos-de-final despacharam o Ajax com um total de 4-0.

O início do jogo mostrou uma equipa russa atrevida, mas acima de tudo uma formação “azul e branca” apática e displicente. Os jogadores do FC Porto demoraram a entrar no jogo e pareceram estar na ressaca dos festejos. Disso aproveitou-se o Spartak que, por duas vezes (1’ e 11’), podia ter inaugurado o marcador. O 4x2x3x1 de Valeri Karpin ganhava o duelo ao 4x3x3 de Villas-Boas. O FC Porto reagia com remates de longe, mas Dykan ia tendo uma noite tranquila na baliza moscovita.

Karpin disse estar “pouco animado” depois de ver “oito jogos do FC Porto”. O principal responsável pelo estado de alma do treinador era Falcao, o jogador que mais o “impressionou” e, aos 37’ o colombiano começou a provar que Karpin estava certo: na primeira jogada com pés e cabeça do FC Porto, Alvaro Pereira centrou e Falcao fez golo de cabeça. A partir daí, só deu FC Porto.

Os primeiros minutos da segunda parte ainda mostraram receio mútuo, mas após um remate de Hulk à barra (60’), Varela assistido por Falcao fez o 2-0. Cinco minutos mais tarde, foi Maicon após um canto a marcar. O jogo estava num ritmo diabólico. Nas bancadas ainda se festejava o 3-0 e Kirill, um dos gémeos Kamborov do Spartak, reduzia. O golo ainda assustou os portistas, mas Falcao tratou de arrumar os russos com mais dois golos aos 84’ e 90’+2’. No Dragão já se pode começar a pensar no confronto frente ao Villarreal.

POSITIVOFalcao

Karpin elogiou-o e mostrou receio pelas qualidades do colombiano. E Karpin, que foi um grande jogador da década de 90, sabia bem do que falava. Com Hulk menos inspirado, Falcao resolveu um problema que se antevia complicado com três golos à matador. O colombiano já é o melhor marcador da Liga Europa com 10 golos, mais um do que Rossi do Villarreal. O duelo entre os dois já está prometido para a meia-final.


Welliton

Esteve nos principais lances de perigo criados pelo Spartak e mostrou que tem imensas qualidades. Com um porte atlético similar e estilo de jogo idêntico ao de Liedson, Welliton foi dos melhores na equipa russa. Apenas faltou o golo.


NEGATIVO 2.ª parte do Spartak

Os russos entraram bem no jogo, mas a partir do momento que sofreram o segundo golo perderam o controlo emocional. Até aí, com bom toque de bola e bem organizados tacticamente confirmaram o lado bom. Depois, nos últimos 30 minutos, mostraram o motivo de somarem duas derrotas em três jornadas do campeonato russo.


Maicon

Marcou de cabeça o terceiro golo do FC Porto na sequência de um canto, mas isso não apaga muita tremideira atrás. Villas-Boas optou pelo defesa central brasileiro em detrimento do argentino Otamendi, mas Maicon sentiu enormes dificuldades para segurar Welliton causando muitos calafrios aos adeptos portistas.


Ficha de Jogo

FC Porto, 5


Spartak Moscovo, 1


Jogo no Estádio do Dragão, no Porto.Assistência 38.209 espectadores

FC Porto

Helton 6; Fucile 6; Rolando 6; Maicon 5; Álvaro Pereira 6; Fernando 7; Joao Moutinho 7; Guarin 6 (Belluschi 6, 69); Varela 7 (James 6, 72); Hulk 6 (Rodriguez 5, 80); Falcao 8

Spartak Moscovo

Dykan 5; K. Kombarov 6; Suchy 5; Rojo 5; Makeev 5 (Yakovlev -, 85); Carioca 5; Ibson 6; McGeady 4 (Dzyuba 4, 68), Alex 5; D. Kombarov 5; Welliton 6

Árbitro

Serge Gumienny 6, da Bélgica

Amarelos

D. Kombarov (15’), Rojo (35’), Moutinho (52’), Ibson (58’), Makeev (82’) e Suchy (88’).

Golos

1-0, por Falcao, aos 37’; 2-0, por Varela, aos 65’; 3-0, por Maicon, aos 70’; 3-1, K. Kombarov, 71’; 4-1, por Falcao, aos 84’; 5-1, por Falcao, aos 90’+2’

Sugerir correcção