Crime

Recapturado o autor do disparo do "very-light" que matou um adepto sportinguista em 1996

Hugo Inácio fazia parte dos No Name Boy, uma das claques do Benfica
Foto
Hugo Inácio fazia parte dos No Name Boy, uma das claques do Benfica João Cortesão (arquivo)

O condenado autor do disparo do "very-light" que, em 1996, matou um adepto e que estava fugido à Justiça foi esta quinta-deira recapturado na área de Sintra.

Hugo Inácio foi considerado o autor do disparo do "very-light", que, na final da Taça de Portugal entre Sporting e Benfica, a 18 de Maio de 1996, causou a morte ao sportinguista Rui Mendes, de 36 anos.

Um mês e meio depois, Hugo Inácio - que era elemento da claque “No Name Boys”, actualmente não reconhecida oficialmente pelo Benfica - foi detido e levado a julgamento, sob a acusação de homicídio, detenção e uso de substâncias explosivas e utilização de documento de identificação alheio.

Em Março do mesmo ano, foi condenado a quatro anos de prisão por negligência grosseira. A acusação pedia condenação por homicídio simples com dolo eventual. O Ministério Público recorreu e o julgamento foi repetido em Janeiro de 1998, não tendo sido alterada a sentença.

Na ocasião, o tribunal procedeu a um cúmulo jurídico com outra pena que Hugo Inácio cumpria por tráfico de droga, elevando a condenação para cinco anos.Preso no Linhó, em Sintra, Hugo Inácio aproveitou uma visita precária para escapar da prisão, em meados de 2000. Encontrava-se a monte desde então. Hoje, foi recapturado "na área de intervenção da PSP, em Sintra", adiantou a fonte oficial da Polícia de Segurança Pública.

Em comunicado emitido posteriormente, a PSP precisa que hoje, “pelas 14h00, o Comando Metropolitano de Lisboa, através da Divisão Policial de Sintra, deu cumprimento a um mandado de detenção visando um homem de 37 anos de idade que se encontrava evadido do Estabelecimento Prisional do Linhó, onde cumpria a pena de 5 anos de prisão pelo crime de homicídio por negligência”.

Segundo o mesmo comunicado, o recapturado “encontra-se conectado ao grupo organizado de adeptos benfiquista ‘No Name Boys’ e foi o autor do lançamento do engenho pirotécnico que motivou a morte de um adepto sportinguista na Final da Taça de Portugal de 1996, que opôs o Sporting Clube de Portugal ao Sport Lisboa e Benfica, facto pelo qual cumpria pena”.

Acrescenta ainda a polícia que “o detido encontrava-se evadido desde 20 de Março de 2000, quando ainda lhe restavam 15 meses e 6 dias de cumprimento de pena efectiva, tendo sido interceptado na Rua Mário de Sá Carneiro, Tapada das Mercês, concelho de Sintra” e “conduzido ao Estabelecimento Prisional do Linhó”, pelas 16h30.

Sugerir correcção