Liga Europa

Missão cumprida apesar da gestão

Falcao festejou mais um golo no FC Porto
Foto
Falcao festejou mais um golo no FC Porto Miguel Vidal/Reuters

Foi a pior exibição da época, mas o objectivo foi cumprido. O FC Porto sentiu muitas dificuldades, esta quinta-feira, no Estádio do Dragão, contra o Besiktas, e pela segunda vez em 17 jogos não conseguiu vencer. Com cinco habituais titulares fora do “onze”, os portistas empataram a um golo com a equipa turca, resultado que garante, no entanto, a qualificação para a fase seguinte da Liga Europa.

Jogar devagar e devagarinho não bastou para o FC Porto derrotar pela segunda vez o Besiktas. A anunciada gestão do plantel por André Villas-Boas pareceu ser suficiente durante 60 minutos, mas a expulsão de Rodríguez baralhou por completo um jogo que parecia controlado pelos portistas.

Tal como tinha anunciado, Villas-Boas fez a gestão “normal” antes de receber o Benfica. Com uma posição confortável no grupo, o treinador do FC Porto não podia contar com Fernando e Maicon (expulsos em Istambul) e deixou Sapunaru fora da convocatória. A este trio juntou Moutinho e Varela na lista dos habituais titulares poupados.

Mesmo com tantas alterações e contra um Besiktas reforçado em relação ao primeiro confronto, apesar de nova ausência de Quaresma, o FC Porto assumiu o controlo da partida. Mas o primeiro sinal que a noite iria estar longe de ser perfeita surgiu aos 3’, quando um mau passe de Guarín obrigou Helton a aplicar-se para evitar o golo de Bobô. Depois, até ao intervalo, praticamente só deu FC Porto e as oportunidades junto da baliza de Arikan sucederam-se, com Hulk (5’, 13’ e 25’) e Falcao (18’, 23’ e 28’) em destaque. Mesmo sem jogar bem os portistas mereciam estar em vantagem e acabaram por o conseguir aos 36’: o árbitro considerou que Arikan derrubou Falcao na área e o colombiano na conversão da penalidade fez o 1-0. A primeira parte terminou dentro da normalidade deste Grupo L: Falcao marca em todos os jogos e o Besiktas chega sempre a “zero” ao intervalo.

Na segunda parte tudo mudou a partir dos 60 minutos. Pouco depois de Hulk estar perto do 2-0, Rodríguez desentendeu-se com Uzulmez, viu o segundo amarelo e foi expulso. Tal como tinha acontecido em Istambul, o FC Porto ficava em inferioridade numérica. Mas, desta vez, o Besiktas tirou vantagem disso: aos 61’ Kahveci rematou ao poste e no minuto seguinte marcou um grande golo com um remate de fora de área. No entanto, três minutos depois, já sem Hulk em campo (entrou Moutinho), Toraman também viu o vermelho e os turcos ficaram igualmente reduzidos a dez jogadores.

E o jogo ficou partido. Com mais espaços para contra-atacar o Besiktas teve quatro excelentes oportunidades desperdiçadas por Bobô entre o minuto 70 e 75 e aos 78’ os portistas gritaram golo após um remate de Rúben Micael que foi cortado por um defesa turco num lance que deixou dúvidas se a bola atravessou a linha de golo. O empate final acaba por agradar às duas equipas que beneficiaram da derrota do Rapid, em Viena, contra o CSKA Sofia.

POSITIVOKahveci

No primeiro jogo, em Istambul, foi assobiado pelos adeptos do Besiktas, mas esta quinta-feira foi dos melhores da equipa turca e marcou um grande golo.


Hulk

Enquanto esteve em campo foi o melhor no FC Porto.


NEGATIVOÁrbitro

Há 15 dias, em Istambul, foi Carlos Clos Gómez, árbitro espanhol, o protagonista pela negativa. No Dragão, foi a vez de um italiano se destacar por más razões. A arbitragem de Paolo Tagliavento não agradou a nenhuma das equipas.


Rodríguez

A sua expulsão prejudicou muito a equipa. Apesar de ter sido provocado por jogadores turcos reagiu de forma intempestiva quando já tinha um cartão amarelo.


Ficha de jogo

Jogo no Estádio do Dragão, no Porto.


Assistência 34.139 espectadores


FC Porto

Helton 6, Fucile 5, Otamendi 5, Rolando 5, Álvaro Pereira 6, Guarín 5, Belluschi 6 (Souza -, 73’), Rúben Micael 6, Hulk 6 (João Moutinho 6, 63’), Rodríguez 4 e Falcao 6 (Walter -, 79’).

Treinador

André Villas-Boas.

Besiktas

Hakan Arikan 6, Roberto Hilbert 5, Ibrahim Toraman 5, Ersan Gulum 5, Ibrahim Uzulmez 6, Fabian Ernst 6, Mehmet Aurélio 6, Guti Hernandez 6, Nihat Kahveci 7 (Erhan Guven -, 90’+2’), Rodrigo Tabata 5 (Filip Holosko 6, 46’) e Bobô 6 (Necip Uysal -, 84’).

Treinador

Bernd Schuster.

Árbitro

Paolo Tagliavento 3 (Itália)

Amarelos

Ibrahim Toraman (29’ e 67’), Rodríguez (39’ e 59’), Roberto Hilbert (44’), Ibrahim Uzulmez (59’) e Ersan Gulum (87’).

Vermelho

Rodríguez (59’); Ibrahim Toraman (67’).

Golos

1-0, por Falcao, aos 36’ (g.p.); 1-1, por Nihat Kahveci, aos 62’.

CLASSIFICAÇÃO Grupo L

4.ª Jornada


FC Porto-Besiktas 1-1


Rapid Viena-CSKA Sófia 1-2


1.º FC Porto 10 pontos2.º Besiktas 7
3.º Rapid Viena 3
4.º CSKA Sófia 3

Próxima jornada (02/12/2010):CSKA Sófia-Besiktas e Rapid Viena-FC Porto

Notícia actualizada às 23h25