Pena de dez meses substituída

Carolina Salgado condenada a trabalho comunitário por difamar Pinto da Costa

Carolina tinha acusado Pinto da Costa de ser o mandante das agressões a Ricardo Bexiga, ex-vereador de Gondomar
Foto
Carolina tinha acusado Pinto da Costa de ser o mandante das agressões a Ricardo Bexiga, ex-vereador de Gondomar Paulo Pimenta (arquivo)

Carolina Salgado foi esta tarde condenada a dez meses de prisão, substituídos por 300 horas de trabalho a favor da comunidade, por difamação agravada a Jorge Nuno Pinto da Costa, por lhe ter imputado a autoria moral da agressão de que foi alvo Ricardo Bexiga, advogado e à data vereador do PS na Câmara Municipal de Gondomar.

Em julgamento, a antiga namorada de Pinto da Costa afirmou que terá pedido à jornalista Felícia Cabrita para não publicar a acusação na entrevista que lhe concedeu e foi publicada na revista do semanário Sol. E adiantou que aquele pedido de reserva terá sido testemunhado pela jornalista Leonor Pinhão, cuja inquirição requereu mas não chegou a ser deferida pelo tribunal.

Carolina Salgado acabaria por contribuir para a reabertura de vários processos relacionados com alegados actos de corrupção no âmbito da investigação que ficou conhecida como “Apito Dourado”. Com a publicação de “Eu, Carolina”, o procurador-geral da República, Pinto Monteiro decidiu criar uma equipa especial liderada pela procuradora-geral adjunta Maria José Morgado.