Ex-funcionários do grupo Oficina do Livro criam nova editora

Sousa Tavares tem uma participação de 10 por cento na nova editora
Foto
Sousa Tavares tem uma participação de 10 por cento na nova editora Rui Gaudêncio

A Clube do Autor quer dar aos escritores a atenção que não conseguem ter nos grandes grupos; Miguel Sousa Tavares e Margarida Rebelo Pinto são sócios

O novo livro de Margarida Rebelo Pinto, Minha Casa é o teu Coração, será publicado em Novembro na Clube do Autor. Uma nova editora portuguesa cuja equipa vem do grupo Oficina do Livro, que lançou Margarida Rebelo Pinto e Miguel Sousa Tavares e foi comprado pela Leya.

O director-geral e sócio maioritário da Clube do Autor é João Gonçalves, ex-responsável de marketing da Oficina do Livro e ex-director de marketing das editoras do grupo Bertrand. A editora executiva para os autores portugueses é Cristina Ovídeo, que foi editora da Oficina do Livro e da Planeta. Teresa Matos, a editora executiva para livros internacionais, trabalhou na Quinta Essência, chancela da Oficina do Livro. 

Querem reviver o espírito da Oficina do Livro, quando esta não fazia parte de um grande grupo e lançou o slogan "É bom trabalhar nas obras". Acreditam que actualmente há "uma janela de oportunidade para estruturas mais flexíveis do que os grandes grupos" (palavras de João Gonçalves) e querem acompanhar a obra de um autor desde o início até ao fim. "Encontrar caminhos transversais à obra, trabalhar outras linguagens, potenciar ao máximo os conteúdos" (Cristina Ovídeo) são outros dos objectivos. 

A Clube do Autor é uma sociedade anónima de capitais privados, que tem na administração além de João Gonçalves, o seu amigo Ricardo Castro. O director-geral não quis falar de volume de negócios nem de fundos de investimento e desmentiu que António Lobato Faria, ex-administrador do grupo Oficina do Livro que antes de ser comprado pela Leya pertencia à Explorer, estivesse no projecto. "É completamente falso que neste momento António Lobato de Faria faça parte da Clube do Autor", disse.

No organograma da nova editora que tem vindo a ser apresentado aos gerentes de loja ou responsáveis comerciais de várias livrarias aparecem como sócios os escritores Margarida Rebelo Pinto e Miguel Sousa Tavares. O autor de Equador confirmou ao PÚBLICO que tem uma participação de 10 por cento na empresa. Achou "curioso" poder estar ligado a uma editora de uma outra maneira e contribuirá para o brainstorming. Conhece há anos "o João e a Cristina e outras pessoas ligadas à nova editora que precisava de capital para arrancar". Investiu, como investiria num restaurante de um amigo. Embora "não esteja nada assente", há a possibilidade de um livro seu sair para o ano na Clube do Autor. "Se houver um livro meu na Clube do Autor, não vai ser um livro de ficção, será uma recolha de coisas antigas. Não mudei de editora", explicou.

A publicação de Minha Casa é o teu Coração, o livro de ficções e pequenas histórias de Margarida Rebelo Pinto fora do grupo Leya também não significa uma mudança de editora. "Continuo na Leya, toda a minha obra está lá", disse a escritora ontem ao PÚBLICO e não quis falar sobre a sua participação na editora. José Menezes, director de comunicação da Leya, confirmou que a autora manifestou interesse em que o conjunto das suas obras se mantivesse na Oficina do Livro. Os romances de Mário Zambujal e de Takiji Kobayashi, que estão desde quinta-feira nas livrarias portuguesas, são os primeiros livros desta editora generalista, de ficção e não-ficção, que quer editar 80 livros por ano e 20 até ao final de Dezembro. Também António Vitorino d"Almeida e José Jorge Letria irão publicar na Clube do Autor.