Liga dos Campeões

O Benfica não matou o fantasma, o fantasma matou o Benfica

O Schalke foi mais forte do que o Benfica
Foto
O Schalke foi mais forte do que o Benfica Ina Fassbender/Reuters

À galeria onde já constavam os nomes de Hertha de Berlim, Nuremberga, Estugarda, Kaiserslautern, Bayern de Munique, Bayer Leverkusen, Carl Zeiss Jena, Fortuna Düsseldorf, Borussia Mönchengladbach, Dynamo Dresden, Victoria 91, Borussia Dortmund juntou-se ontem o Schalke 04. A equipa de Gelsenkirchen derrotou o Benfica por 2-0 na segunda jornada do Grupo B da Liga dos Campeões, adiando uma vitória dos “encarnados” na Alemanha. Ao cabo de 18 jogos, a equipa da Luz continua sem saber o que é ganhar em solo alemão, tendo somado, frente ao Schalke 04, a 12.ª derrota frente a adversários alemães na condição de visitante.

A equipa de Jorge Jesus perdeu numa partida que se decidiu na segunda parte. Farfán (73’) e Huntelaar (85’) assinaram o resultado favorável à equipa orientada por Felix Magath, que pela primeira vez na presente temporada terminou um jogo sem sofrer golos. Num encontro que opôs duas equipas que não iniciaram bem a época, os anfitriões foram mais fortes.

O Benfica pode-se queixar sobretudo de erros próprios, que foram decisivos para o resultado final. César Peixoto deixou Farfán sozinho no lance do 1-0, em que o peruano teve tempo para tudo e rematar para o golo; David Luiz perdeu a bola de forma infantil para Raúl na jogada do 2-0, deixando o veterano avançado espanhol com tempo e espaço para progredir na direcção da baliza. Calmamente, Raúl deu na esquerda em Jermaine Jones, que assistiu Huntelaar para o segundo do Schalke 04.

Jorge Jesus – que pela primeira vez esta temporada repetiu a equipa titular, colocando em campo os mesmos onze que venceram o Marítimo apesar de ter Aimar apto – viu a sua equipa entrar no jogo com vontade, mas esta foi-se progressivamente esgotando. Numa primeira parte bem disputada, as melhores oportunidades pertenceram à equipa da casa, ainda que o Schalke 04 demonstrasse precipitação na hora de atacar a baliza de Roberto.

O lance mais flagrante da primeira parte surgiu já aos 41’: após uma boa combinação com Jurado, Raúl enviou a bola ao poste da baliza “encarnada”, com Roberto a evitar a recarga de Rakitic. Antes disso, a formação orientada por Felix Magath já tinha introduzido a bola na baliza em duas ocasiões (9’ e 18’), ambas invalidadas por fora-de-jogo.

Com esta derrota, o Benfica cai do primeiro para o terceiro posto do Grupo B, atrás de Lyon e Schalke 04. Mas, mais que isso, num estádio que o futebol português recorda por bons motivos, os “encarnados” não conseguiram matar o fantasma de não conseguir ganhar na Alemanha.

POSITIVO
Raúl

Aos 33 anos, ainda é um avançado temível e, por isso, mereceu cuidados especiais da defesa do Benfica. Não marcou mas foi decisivo.


Meio-campo do Schalke

Matip, Farfán, Rakitic e Jurado formaram um quarteto que funcionou, ainda que o último passe para os avançados nem sempre saísse bem.


NEGATIVOGaitán

Jorge Jesus deu-lhe a titularidade mas arrependeu-se ao intervalo, retirando-o de campo para fazer entrar Salvio. Gaitán vai perdendo margem de manobra.


César Peixoto

O lado esquerdo da defesa continua a dar dores de cabeça ao treinador do Benfica, obrigado a abdicar de Fábio Coentrão para a posição face à escassez de recursos.


Ficha de jogoSchalke

2


Benfica

0

Jogo na Arena AufSchalke, em Gelsenkirchen. Assistência 50.436 espectadores

Schalke 04

Neuer 6, Uchida 5 (Sarpei 6, 58), Metzelder 6, Papadopoulos 6, Schmitz 6, Matip 7, Jurado 7 (Kluge -, 78’), Farfán 07 Rakitic 7 (Jones 6, 66’), Raúl 7 e Huntelaar 7.


Treinador:

Felix Magath

Benfica

Roberto 5, Maxi Pereira 6, Luisão 6, David Luiz 5, César Peixoto 5, Javi Garcia 6, Fábio Coentrão 6, Gaitán 5 (Salvio 5, 46’), Carlos Martins 6, Saviola 6 (Aimar 5, 63’) e Cardozo 5 (Kardec -, 71’).


Treinador:

Jorge Jesus

Árbitro:

Gianluca Rocchi 5, da Itália. Amarelos Gaitán (45’), Salvio (49’), Javi Garcia (56’), Uchida (57’) e Farfán (62’).

Golos:

1-0, por Farfán, aos 73’


2-0, por Huntelaar, aos 85’.


Notícia actualizada às 22h47