Educação

Rixa entre alunos causa confrontos entre pais em Braga

A confusão instalou-se ontem na Escola Básica 2/3 André Soares, na freguesia de São José de São Lázaro, no centro do concelho de Braga.

Na origem da discórdia estaria uma briga entre alunos de duas famílias de etnia cigana - uma de nacionalidade portuguesa, residente no Monte do Picoto, outra de nacionalidade romena, residente na Urbanização do Fujacal.

A notícia, avançada pela edição electrónica do Expresso, foi confirmada pelo PÚBLICO junto do porta-voz da direcção nacional da Polícia de Segurança Pública, Paulo Flor. Alertada por volta das 13h para desacatos no interior da escola, acorreu ao local para acalmar os ânimos, sobretudo no exterior.

Membros de uma família terão procurado "pedir explicações" a membros de outra família sobre agressões na véspera ocorridas entre alunos dos dois agregados. Quando tudo parecia sanado, um casal português apareceu de carro e envolveu-se num confronto físico com o casal romeno. Segundo o porta-voz da PSP, o confronto desenrolou-se fora do perímetro da escola. Quando uma das partes tentou entrar no estabelecimento de ensino, foi accionado um reforço policial. A PSP identificou os envolvidos e, decidida a evitar réplicas, conduziu algumas pessoas a casa. Pelo menos uma pessoa terá recorrido às urgências. Por precaução, uma Equipa de Intervenção Rápida da PSP de Braga manteve-se durante a tarde a porta da Escola 2/3 André Soares.

O PÚBLICO tentou contactar a direcção do agrupamento de escolas. Apesar das sucessivas tentativas, não logrou chegar à fala com algum elemento e indagar sobre factos e consequências.

Há dois dias, foi apresentado o novo relatório do Observatório de Direitos Humanos, formado por um conjunto de associações. O documento condena a criação de uma turma única para ciganos na EB1 de Lagoa Negra, em Barqueiros, Barcelos, que, de resto, já foi extinta.