POSITIVO e NEGATIVO

+


Yannick Djaló
Mantém o seu principal argumento, a velocidade, intacta, mas parece ter ganho um domínio da bola que antes lhe faltava. Cada vez mais adaptado à posição de extremo, Yannick faz como poucos o movimento de derivar para a zona central e baralhar as marcações.

Pedro Mendes
Muito importante no meio-campo do Sporting na dupla função de defender e atacar. Com Miguel Veloso ao lado, o médio conseguiu libertar-se e construir jogadas perigosas, ao mesmo tempo que não deixou passar nada pela sua área de acção. O Sporting precisava de experiência na equipa e, com Pedro Mendes, obteve-a.

Liedson
Não marcou, mas foi fundamental na luta contra a defesa portista. Ele pode até jogar melhor com um companheiro na frente de ataque, mas se é com ele sozinho que a equipa joga melhor, então tem de se adaptar.

-


Jesualdo Ferreira
Não havia muito que inventar e, no papel, tudo parecia estar no lugar. O pior foi quando o Sporting começou a marcar golos e o técnico portista não conseguiu reagir da melhor maneira.

Defesa do FC Porto
Merece ser avaliada negativamente como um bloco, porque nenhum deles teve capacidade para travar as fortes investidas sportinguistas.

O Sporting renasce, Benfica e Braga agradecem

Foto
Bruno Alves assiste à festa dos jogadores do Sporting Nacho Doce/Reuters

O jogo deste domingo, em Alvalade, tinha vários espectadores atentos. A começar por Benfica e Sporting de Braga, os dois primeiros do campeonato, a torcer por uma vitória do Sporting sobre o FC Porto, como até o próprio Jorge Jesus admitiu. Só o tempo dirá se os portistas ainda são candidatos ao título, depois de terem sido derrotados por 3-0 por um Sporting, a quem daria muito jeito que a época começasse agora e que não estivesse já quase no fim.

A 2 de Fevereiro, no Estádio do Dragão, assistiu-se à demonstração absoluta de força de um e a subjugação de outro. O FC Porto ganhou por 5-2 e o Sporting acabou humilhado, destruído e eliminado da Taça de Portugal. Aliás, nem era preciso recuar muito para ver um Sporting frouxo, arrastado e sem ambição. Bastava ver o empate sem golos frente à Olhanense na jornada anterior. A mesma jornada, diga-se, em que os portistas tinham goleado o Sp. Braga, um candidato ao título, por 5-1.

Apesar de ter tido um encontro exigente na quinta-feira, Carlos Carvalhal apostou exactamente no mesmo “onze”, adiando o regresso de João Pereira, de novo disponível após castigo. Manteve o mesmo meio-campo reforçado, com Pedro Mendes e Miguel Veloso mais recuados e Izmailov, Yannick e Moutinho no apoio a Liedson. Do FC Porto, nenhuma surpresa de Jesualdo Ferreira. Tomás Costa era o substituto previsível de Fernando, enquanto Varela e Mariano tinham como missão alimentar Falcao pelas alas.

Se no tal jogo no Dragão, o FC Porto começou a resolver aos 18’, por Rolando, este domingo, o Sporting não precisou de tanto tempo para começar a deixar a sua marca. Aos 6’, João Moutinho arrancou pela direita, Yannick recebeu a bola fora da área e disparou para a baliza com toda a potência. Helton ainda tocou na bola, mas não o suficiente para a impedir de entrar. Uma vantagem que, pelo pouco tempo de jogo ainda não dava para ver se era merecida, mas que o Sporting, com o correr dos minutos, se encarregou de justificar.

Mendes e Veloso foram uma dupla intransponível a defender e integraram-se bem no ataque, com preciosa ajuda dos laterais Abel e Grimi. Depois foi só confiar no bom julgamento dos mais adiantados. Yannick, rápido e confiante como esteve frente ao Everton, foi um problema constante e, do outro lado, Izmailov desfez Álvaro Pereira com as suas deambulações para o meio do terreno. Falcao raramente teve a bola na cabeça ou nos pés porque a defesa leonina também esteve bem oleada. Varela quase não se mostrou frente à equipa que o lançou e Mariano perdeu todos os duelos com Grimi.

Sem perigo portista, o Sporting mostrou-se sem vergonha, orgulhoso e impulsionado pelos aplausos que entretanto parecem ter regressado a Alvalade. Liedson, sozinho e em sacrifício, manteve a defesa do FC Porto em sobressalto, com um remate aos 11’ que Helton conseguiu segurar. Os campeões nacionais reagiram, como lhes competia, equilibrando as operações, especialmente quando Varela e Mariano trocaram de flanco, mas sem colocarem em perigo a baliza sportinguista.

Mesmo a fechar a primeira parte, um momento da responsabilidade de um homem que já está habituado a marcar ao FC Porto. De fora da área, Izmailov fez o 2-0 e colocou os sportinguistas em delírio. O Sporting foi para o intervalo como tinha entrado, moralizado.

Depois, veio a confirmação de uma vitória e o tónico para um resto de jogo tranquilo. Liedson avançou pela direita e, mesmo com pouco ângulo, acertou no poste. Miguel Veloso apanhou o ressaltou e fez o terceiro sportinguista.

Jesualdo, que tinha tentado mudar alguma coisa ao intervalo, fazendo entrar Belluschi para o lugar de Meireles, ficou sem saber bem o que fazer. O Sporting também abrandou, mas não o suficiente para se deixar apanhar. Sem ter o topo como objectivo, os “leões” cumpriram com brilhantismo o objectivo realista do quarto lugar. Para o FC Porto, o objectivo título fica bem mais longe. Talvez longe demais.

Ficha de jogo

Sporting,


3

FC Porto,


0

Estádio José Alvalade, em Lisboa.Assistência
28 220 espectadores.

Sporting

Rui Patrício

7

, Abel

7

, Tonel

7

, Carriço

7

(Polga

-

, 74’) Grimi

7

, Pedro Mendes

8

, Miguel Veloso

7

(Adrien

-

, 77’), João Moutinho

7

, Izmailov

7

(João Pereira

-

, 90’), Yannick

8

e Liedson

7

.

Treinador

Carlos Carvalhal

FC Porto

Helton

6

, Fucile

5

, Rolando

5

, Bruno Alves

5

, Álvaro Pereira

5

, Tomás Costa

6

, Rui Meireles

6

(Bellushi

5

, 46’), Ruben Micael

5

(Guarín

4

, 56’), Mariano

4

(Rodríguez

4

, 56’), Varela

5

e Falcao

5

.

Treinador

Jesualdo Ferreira

Árbitro

João Ferreira

5

, de Setúbal.

Amarelos

Miguel Veloso (12’), João Moutinho (16’), Bruno Alves (17’), Yannick (30’), Bellushi (73’), Helton (76’), Izmailov (77’) e Liedson (78’).

Golos

1-0, por Yannick, aos 6’; 2-0, por Izmailov, aos 45’ e 3-0, por Miguel Veloso, aos 47’.

Notícia actualizada às 23h03