David Maranha em aventuras além-fronteiras no início de 2010

Foto

Antarctica" terá o selo da casa editorial norte-americana que já lançou trabalhos de gente como Chris Corsano, Ben Chasny, Joe McPhee e Vibracathedral Orchestra.

A editora Roaratorio prepara-se para lançar, no final de Fevereiro, um novo álbum do português David Maranha. "Antarctica", o sucessor de "Marches of the New World" (décimo lugar na lista de música pop do Ípsilon, em 2007), terá o selo da casa editorial norte-americana, que já lançou trabalhos de gente como Chris Corsano, Ben Chasny (Six Organs of Admittance), Joe McPhee e Vibracathedral Orchestra.

Ao Ípsilon, Maranha adiantou que o som não será muito distante do de "Marches of the New World". Ou seja, dizemos nós, música contínua, de desenvolvimento lento, mas vigoroso, algures entre o minimalismo de Tony Conrad e o lado mais exploratório dos Velvet Underground. A formação será composta pelo próprio Maranha (órgão e violino), Riccardo Dilon Wanke (guitarra eléctrica), João Milagre e Stefano Pilia (baixo, no lado A e B, respectivamente) e Afonso Simões (bateria). O álbum será lançado em vinil, com uma peça de cada lado.

A confirmar que o início de 2010 será preenchido para David Maranha (que pertence aos históricos Osso Exótico) está a participação no projecto Box, em Bruxelas, entre 30 de Janeiro e 2 de Fevereiro. Nesses quatro dias, Maranha e outros músicos (estão já confirmadas as presenças de Ben Frost e Helge Sten, dos Supersilent) vão estar em estúdio, sem quaisquer planos prévios. O resultado será editado pela Rune Grammofon, importante editora norueguesa de música experimental.