Em entrevista à Renascença

Sampaio diz que voto obrigatório deve ser debatido

Sampaio acha que o problema seriam as sanções a aplicar a quem não votasse
Foto
Sampaio acha que o problema seriam as sanções a aplicar a quem não votasse Bruno Rascão

O ex-presidente da República, Jorge Sampaio, face à abstenção nas eleições europeias, diz que o voto obrigatório deve ser discutido. Numa entrevista à Rádio Renascença que será transmitida hoje às 23h00, Sampaio considera que legalizar esse dever cívico é uma mudança que vai marcar a lei eleitoral de 1974/75. “Constitucionalizar e legalizar esse dever cívico é um passo importante, que merece uma grande e aprofundada discussão”, disse.

No programa "A Três Dimensões", com Francisco Sarsfield Cabral, Sampaio adianta que todas as opiniões que tem ouvido sobre o tema não são claras, porque há soluções de carácter obrigatório que também não funcionam.

O ex-presidente da República lembra que a existência de uma coima para o não voto pode não ser adequada ao nosso país, pouco habituado ao pagamento de multas. “Temos realmente uma péssima tradição. E ter uma coisa obrigatória, que a sanção não se verifica ainda é pior”.