Um dos fundadores da Bienal de Arte de Vila Nova de Cerveira

Morreu o pintor Jaime Isidoro

Jaime Isidoro
Foto
Jaime Isidoro João Paulo Gomes

Jaime Isidoro, pintor, galerista e fundador da Bienal de Arte de Vila Nova de Cerveira, morreu esta madrugada, no Porto, aos 84 anos. O corpo está em câmara ardente na Igreja Nova de Cedofeita, nesta cidade, e o funeral realiza-se amanhã, às 14h30, para o cemitério de Agramonte, na Boavista.

Nascido a 21 de Março de 1924, Jaime Isidoro estudou desenho e pintura na Escola Soares dos Reis, no Porto, e realizou na sua cidade a primeira exposição individual em 1945, no então designado Salão Fantasia (na Rua 31 de Janeiro).

O Porto foi o tema principal dos seus quadros, principalmente aguarelas, mas Isidoro destacou-se também na cidade como galerista e divulgador de arte, nomeadamente através da Academia e Galeria Alvarez, que fundou em meados da década de 50, e, mais tarde, com a Galeria Dois, na Boavista.

Em 1978, fundou a Bienal de Arte de Vila Nova de Cerveira, no Alto Minho, que viria a tornar-se na principal bienal de arte do país. Ultimamente, Jaime Isidoro estava ainda ligado à bienal, sendo presidente da mesa de assembleia geral do Projecto Núcleo de Desenvolvimento Cultural, que organiza a iniciativa de Cerveira.