Torne-se perito

Antony inspira-se em Kazuo Ohno

Foto

Vai editar novo álbum a 20 de Janeiro. Falou ao Ípsilon numa entrevista que publicaremos em Janeiro.

A principal diferença entre o álbum anterior de Antony, o aclamado "I am a Bird Now", e o novo "The Crying Light" - com data de edição para 20 de Janeiro - "é que é um disco ainda mais intimista e introspectivo". É o próprio que o diz em entrevista ao Ipsílon (que publicaremos em Janeiro).

Desta vez não há convidados, precisamente porque Antony quis salvaguardar que seria um "álbum inteiramente" seu. Em termos temáticos, diz-nos, é também um disco diferente. A grande inspiração é agora o bailarino japonês Kazuo Ohno, de 102 anos, que surge na capa do disco. Aliás, o nipónico já figurava na capa do EP "Another world", lançado em Novembro.

Kazuo Ohno é um dos mais aclamados dançarinos japoneses de todos os tempos, apesar de só ter começado a pisar os palcos aos 43 anos. A partir dos anos 80 passou a viajar pelo mundo, apresentando espectáculos de teatro-dança, sendo o principal difusor do butô, forma de dança japonesa. "Quando o vi dançar vi nele qualquer coisa de divino e de muito misterioso, mas ao mesmo tempo de criança, possuída por uma grande verdade. É essa verdade que também desejei alcançar neste disco."

Musicalmente, o muito esperado álbum de Antony não se afasta daquilo que já conhecemos dele. Ambientes melancólicos, voz magnetizante, arranjos minimalistas e elegantes. Resultado: uma grande força emocional, uma espécie de desespero que não é tristeza, diz ele: "Nina Simone dizia que cantava para saber quem era. À minha maneira, faço o mesmo. Não é tristeza. É existir."

A 14 de Maio, no Coliseu de Lisboa, e a 18 de Maio, no Coliseu do Porto, apresentará o novo álbum em Portugal.

Sugerir correcção