"Rescue Games" na bienal de arte contemporânea Prospect.1

Miguel Palma participa em bienal criada para revitalizar Nova Orleães

Miguel Palma,44 anos, realizou mostras na Culturgest e em Serralves
Foto
Miguel Palma,44 anos, realizou mostras na Culturgest e em Serralves Enric Vives-Rubio (arquivo)

O artista português Miguel Palma vai apresentar a instalação "Rescue Games" na bienal de arte contemporânea Prospect.1 em Nova Orleães, Estados Unidos, criada como contributo para a reconstrução cultural da cidade devastada pelo furacão Katrina em 2005. A bienal é inaugurada a 01 de Novembro e decorre até 18 de Janeiro de 2009 em museus, edifícios históricos e espaços públicos de Nova Orleães, onde serão apresentadas obras de arte contemporânea e projectos que beneficiem a comunidade local.

Miguel Palma explicou que foi convidado pelo fundador e director da bienal Prospect.1, Dan Cameron, para participar no evento, e criou uma nova instalação, inspirada em questões relacionadas com o passado histórico e a situação recente da cidade norte-americana.

"Rescue Games" foi criado "com base no modelo do barco Higgins, desenvolvido por um engenheiro em Nova Orleães e usado em diversas situações durante a Segunda Guerra Mundial. Todos conhecemos, dos filmes sobre a guerra, quando surge uma grande barcaça que se abre para deixar os soldados saírem directamente na costa. Esta embarcação foi inventada para evitar que os soldados morressem afogados, o que era frequente acontecer nestes desembarques", explicou. "Rescue Games" joga com um duplo simbolismo, que liga esta embarcação de salvamento à situação catastrófica resultante dos efeitos do furacão Katrina em 2005. "É uma grande satisfação poder participar num evento artístico que visa contribuir para a reconstrução e revitalização da cidade", salientou Miguel Palma, 44 anos, nascido em Lisboa.

A instalação, composta por uma estrutura em ferro e madeira, um modelo de barco, modelo de casas e barcos, sistemas electrónicos, tanque, alumínio, sistema hidráulico e de suspensão e outros materiais, poderá ser visitada no Lowe 9th Ward Village, Charbonnet Street, em Nova Orleães. Por toda a cidade, nos museus e outras instituições, a partir de 01 de Novembro, o público poderá conhecer obras de artistas como Ghada Amer, Leandro Erlich, Isaac Julien, William Kentridge, Beatriz Milhazes, Shirin Neshat e Rosangela Renno, entre outros.

Miguel Palma - que tem tido como preocupações centrais da sua criação artística temas como o absurdo da guerra, os desastres naturais, a vanidade e o pensamento egocêntrico de gerações - já realizou exposições individuais na Culturgest (2007), no Museu de Arte Contemporânea de Serralves(2000), em Portugal. Participou também em exposições colectivas no Witte de With, em Roterdão, no museu MUDAM de Luxemburgo, e na Fundação "la Caixa", em Barcelona. Para a realização desta peça, o artista contou com os apoios da Fundação Luso-Americana para o Desenvolvimento, Fundação Calouste Gulbenkian, Direcção-Geral das Artes e Instituto Camões.