Dois mil efectivos afectados

Unidade Especial de Polícia sem dinheiro para comprar fardas

Polícias vão ter a mesma farda
Foto
Polícias vão ter a mesma farda Nélson Garrido

Está instalada a polémica na Unidade Especial de Polícia (UEP) da PSP. O fardamento é a causa principal de um caso caricato que não se sabe até quando irá durar. A UEP é constituída por cinco forças policiais que recentemente foram unificadas. Cada uma dessas forças possui uma farda exclusiva, que irá continuar a envergar, uma vez que não há orçamento para vestir de igual os cerca de dois mil polícias que integram este novo corpo.

"Agora somos a tropa do Savimbi", diz um dos polícias da UEP, sediada na Quinta das Águas Livres, em Belas, lembrando que cada corpo representado farda de modo diferente. "Temos o GOE [Grupo de Operações Especiais] que anda de boina verde, o CI [Corpo de Intervenção] que tem boina azul, o CIEXSS [Corpo de Inactivação de Explosivos e Segurança em Subsolo], que tem uma boina preta, o CSP [Corpo de Segurança Pessoal], que usa boina azul-clara, como a das forças da NATO, e, por fim, existe ainda o pessoal do Apoio Cinotécnico, que está a preparar uma boina nova, e o pessoal de apoio, que anda de boné. Então, com tanta cor diferente, somos ou não somos a tropa do Savimbi?"

A ideia da Direcção Nacional da PSP não passa por dar um uniforme igual a cada um dos efectivos da UEP. "Cada força que integra a UEP tem o seu histórico, possuem fardas que foram especialmente concebidas para as funções específicas que desempenham e vão continuar a desempenhar. Por que motivo haveriam agora de ter fardas iguais? Não faz qualquer sentido", disse ao PÚBLICO o porta-voz da PSP, Hipólito Cunha.

Mas, mesmo que fosse intenção imediata da direcção nacional equipar a UEP com novo fardamento, essa seria uma missão difícil de ser cumprida nos próximos tempos. "Não são apenas duas mil fardas. São pelo menos o dobro, pois um polícia não pode ter apenas uma farda. Quem é que vai pagar? Onde é que está o dinheiro?", interroga-se um oficial da PSP contactado pelo PÚBLICO. Uma só farda, que cada polícia paga do próprio bolso, custa cerca de 450 euros. O subsídio mensal da PSP é de 5,49 euros.

Este mesmo oficial, que solicitou o anonimato, defende que toda a UEP devia usar uma só farda e dá o exemplo da GNR, que faz trajar de igual todos os efectivos que integram as suas forças mais especializadas, desde que as mesmas integrem uma só unidade.

No depósito de fardamento da Quinta das Águas Livres não existem, por exemplo, bonés para entregar aos cerca de 300 polícias destacados para dar apoio ao resto do efectivo.

Pior estão, no entanto, os polícias oriundos do antigo Corpo de Segurança Pessoal, que não podem adquirir peças de fardamento naquele local, sendo encaminhados para o depósito existente na Rua de Santa Marta, em Lisboa.