Via vai ligar a Covilhã a Torres Novas

Durão Barroso inaugurou auto-estrada da Beira Interior

Durão Barroso lembrou que a auto-estrada era uma antiga aspiração da população do Interior Centro
Foto
Durão Barroso lembrou que a auto-estrada era uma antiga aspiração da população do Interior Centro António José/Lusa

O primeiro-ministro inaugurou hoje a auto-estrada da Beira Interior, A23, numa extensão de 176 quilómetros, que passa a ligar a Covilhã a Torres Novas, onde dá ligação à A1 até Lisboa.

Durão Barroso entrou na nova via de comunicação perto de Belmonte e fez a viagem até à Covilhã, marcando a entrada em funcionamento da A23, onde foram investidos cerca de 600 milhões de euros.

Entre os novos troços hoje abertos ao público estão os de Castelo Branco-Gardete, Castelo Branco Sul-Castelo Branco Norte, Alvaiade-Perdigão, e Perdigão-Retaxo.

Para a nova via (que substitui parte do itenerário dos antigos IP2 e do IP6) ficar completa resta a finalização do nó de acesso à Covilhã e a contrução do segundo túnel da Gardunha, obras que deverão estar concluídas em Dezembro, segundo o director-geral de exploração da SCUTVIAS, a empresa responsável pela construção e concessionária da exploração.

O contrato assinado com a empresa prevê a concessão de uma extensão de auto-estrada de 180 quilómetros, por um período de 30 anos, tendo o Estado comprometido-se a pagar "portagens virtuais" até Janeiro de 2005.

Antes de inaugurar a nova auto-estrada, Durão Barroso afirmou que a descentralização é o único caminho para transformar Portugal num país mais moderno e mais justo.

Por outro lado, considera ser indispensável um programa de acessibilidades, de que é exemplo a auto-estrada hoje inaugurada, à qual Durão Barroso se referiu como sendo "uma aspiração de muitos anos das populações da região".