Polémico artista plástico

Christo obtém direitos de autor dos postais do Reichstag embrulhado

O Reichstag embrulhado recebeu cerca de cinco milhões de visitantes no Verão de 1995
Foto
O Reichstag embrulhado recebeu cerca de cinco milhões de visitantes no Verão de 1995 Peer Grimm/AFP (Arquivos)

A comercialização de postais do Reichstag (parlamento alemão) embrulhado, uma das obras mais marcantes do artista plástico Christo, necessitará, de agora em diante, de uma licença do seu criador e da co-autora da obra, Jeanne-Claude.

O tribunal constitucional alemão deu ontem razão a uma queixa da parelha de artistas norte-americanos e proibiu a uma agência de fotografias a comercialização de postais do Reichstag embrulhado, argumentando que a obra foi limitada no tempo, como uma exposição, e não é um fenómeno permanente, tal como a porta de Brandeburgo.O Reichstag embrulhado recebeu cerca de cinco milhões de visitantes no Verão de 1995. A obra havia sido concebida em 1976 e recusada por três vezes em 1977, 1981 e 1987, e finalmente votada favoravelmente em 1994 pelo Parlamento alemão.
Christo nasceu em 1935 na Bulgária e entre 1953 e 1956 estudou pintura, escultura e design na Academia de Belas Artes de Sofia, passando depois por Praga e Viena. Em 1958 estabeleceu-se em Paris tomando contacto com o grupo artístico conhecido pelos Novos Realistas. Nesse mesmo ano começou a embrulhar e empacotar objectos.
Em 1964 transferiu-se para Nova Iorque onde trabalhou como vitrinista até que em 1968 embrulhou o seu primeiro edifício: a Galeria Berner.
Em 1971 começou a projectar embrulhar o Reichstag e em 1983 produziu com Jeanne-Claude o projecto Ilhas Cercadas: sete ilhas ao largo de Miami, Florida, foram rodeadas por tecido cor-de-rosa de polipropileno.

Sugerir correcção