Israelitas ameaçam interditar a sua entrada

Arafat reafirma que irá a Belém para a missa de Natal «nem que seja a pé»

Desde 1995 que Arafat tem assistido, todos os anos, à missa da meia-noite em Belém
Foto
Desde 1995 que Arafat tem assistido, todos os anos, à missa da meia-noite em Belém Jamal Aruri/AFPI

O Presidente palestiniano, Yasser Arafat, repetiu hoje que iria a Belém, "mesmo a pé", para assistir à missa de Natal, apesar das ameaças israelitas de interditarem a sua entrada naquela cidade.

"É o meu dever e vou fazer tudo para o conseguir. Irei, mesmo que tenha de ir a pé", disse Arafat à rádio palestiniana "Voz da Palestina".A rádio pública israelita disse hoje que Arafat pediu a Israel a autorização para os seus dois helicópteros o levarem amanhã ou segunda-feira, a Belém.
Ontem, uma fonte próxima do primeiro-ministro israelita, Ariel Sharon, declarou que Arafat será impedido de entrar em Belém, a menos que detenha os assassinos de um ministro israelita de extrema direita. Este foi morto em Outubro durante as represálias ao assassinato em Agosto do chefe de um movimento radical palestiniano pelo exército israelita.
Por seu lado, o ministro israelita dos Negócios Estrangeiros, Shimon Peres, afirmou que uma visita do Presidente Arafat a Belém "deve ser autorizada, porque tem um carácter religioso".
Peres sublinhou que qualquer decisão deverá ser tomada de acordo com ele e com o ministro da Defesa, Binyamin Ben Eliezer, avançou a AFP.
Desde que Israel se retirou de Belém, em 1995, Arafat tem assistido, todos os anos, à missa da meia-noite na igreja de Santa Catarina, perto da basílica da Natividade onde, segundo a tradição cristã, Cristo terá nascido.