Economia alemã cresceu 0,4% em 2013

Maior economia da Zona Euro desacelerou face ao crescimento de 0,7% registado em 2012. Consumo privado contribuiu decisivamente para o PIB alemão.

Reuters

A economia alemã cresceu 0,4% em 2013, de acordo com os dados provisórios divulgados nesta quarta-feira pelo instituto de estatísticas alemão Destatis.

O crescimento da maior economia da Zona Euro foi inferior ao esperado e está abaixo do crescimento de 0,7% registado em 2012. No primeiro trimestre, a economia estagnou, crescendo 0,7% no segundo trimestre e abrandando para 0,3% no terceiro trimestre. Os números do último trimestre ainda não são conhecidos, mas os dados divulgados pelo Destatis sugerem que a evolução terá sido praticamente nula. Os números definitivos serão conhecidos a 14 de Fevereiro.

Em 2011, o PIB alemão registou um crescimento de 3%, mas a Alemanha sofreu entretanto o impacto do abrandamento económico dos vizinhos europeus. As exportações, que são o motor da economia germânica, ressentiram-se e cresceram apenas 0,6%, contra 3,2% em 2012, a um ritmo mais lento que as importações, que aumentaram 1,3%.

“É a primeira vez desde 2009 que o comércio externo não contribui positivamente para o crescimento do PIB”, afirmou o presidente do Destatis, Roderich Egeler, citado pela AFP.

O responsável, que falava numa conferência de imprensa em Berlim, sublinhou que, em contrapartida, a economia do país encontra cada vez maior suporte na procura interna. Os dados do Destatis revelam que o consumo privado alemão aumentou 0,9% em 2013, acima dos 0,8% de 2012. O contributo do consumo “foi decisivo para o crescimento” em 2013, afirmou Egler, atribuindo a evolução a um mercado de trabalho “muito robusto”.

O executivo germânico e a maioria dos institutos económicos antecipavam para 2013 um crescimento de 0,5%. Para este ano, as estimativas apontam para um crescimento de 1,7% e vários analistas acreditam que a economia alemã irá recuperar gradualmente ao longo do ano.

“Estamos à espera de um crescimento de 1,7% este ano. A economia alemã tem vindo a recuperar desde a Primavera e estamos convictos que o ritmo acelerará”, disse o economista-chefe do Commerzbank, Joerg Kraemer, citado pela BBC.
O economista disse ainda que a melhoria da actividade económica na zona euro e nos Estado Unidos, dois grandes mercados de exportação germânicos, ajudariam o país a crescer e a ultrapassar os restantes Estados do euro “durante muitos anos”.

Segundo o Destatis as contas públicas alemãs fecharam o ano negativas, com um défice de 0,1% do PIB, depois de um ligeiro excedente em 2012.

Comentários

Os comentários a este artigo estão fechados. Saiba porquê.

Nos Blogues