Artur Baptista da Silva queixa-se de ser alvo de “linchamento de carácter”

Homem que se apresentou como economista e especialista da ONU enviou SMS à Lusa, mas não atendeu o telemóvel.

Artur Baptista da Silva disponibilizou-se ainda para uma conversa a agendar nos próximos dias DR

O alegado especialista da ONU Artur Baptista da Silva, que foi denunciado como impostor por vários órgãos de comunicação social, queixou-se de ser vítima de um “julgamento sumário”, em que lhe foi aplicada a pena de “linchamento de carácter”.

Artur Baptista da Silva, num SMS enviado à Lusa, a partir do seu telemóvel, lamentou ter passado o Natal “no pelourinho da praça pública”, num “julgamento sumário, seguido de aplicação imediata da pena de linchamento de carácter”.

O suposto economista deu entrevistas a jornais, rádios e televisões e foi convidado como orador por instituições como o International Club de Portugal, na qualidade de economista e coordenador do Observatório Económico e Social da ONU, professor de uma universidade norte-americana e consultor do Banco Mundial.

O currículo de Artur Baptista da Silva foi posto em causa nos últimos dias, com vários órgãos de comunicação social a denunciar que o observatório e a universidade, onde supostamente leccionava o economista, não existem, e que este foi condenado por burla e saiu da prisão no ano passado.

No SMS enviado à Lusa, Artur Baptista da Silva disponibilizou-se ainda para uma conversa a agendar nos próximos dias, mas não atendeu o telemóvel. 
 
 

Comentários

Os comentários a este artigo estão fechados. Saiba porquê.