Finanças estão a avaliar cinco cenários para cumprir a promessa de descongelar as progressões na função pública a partir de 1 de Janeiro de 2018. Custos ascendem a mais de 600 milhões de euros, mas só há 200 milhões disponíveis por ano.

  • Divergência entre empresa portuguesa que detém a licença de prospecção e a australiana que realizou os trabalhos no terreno já chegou aos tribunais. Dia 7 de Dezembro acaba o prazo para ser pedido o contrato de exploração daquela que seria a primeira mina de lítio em Portugal. Governo ganha tempo.

  • É incompreensível entender a atitude esquizofrénica de alguns dos nossos responsáveis políticos que, ao mesmo tempo que defendem o fim dos vistos gold, se regozijam com a evolução positiva da política orçamental motivada em parte pelo investimento associado a este programa.

  • Se os contratos forem cumpridos, 2018 será ano de quatro furos de prospecção petrolífera algures entre Lisboa e o Porto.

  • Primeira metade do ano mostra que, se se mantiver o mesmo padrão dos anos anteriores, meta do défice pode ser alcançada. Mas apenas se, nas contas, não entrar a CGD.

  • Autarquias a controlar o Metropolitano, aposta na partilha de deslocações, investimento em ciclovias. O ministro do Ambiente diz que há muito a fazer na mobilidade.

  • O PSI-20 terminou a semana em terreno positivo, ainda que com ganhos muito ligeiros. 

  • O emagrecimento das empresas à custa dos trabalhadores mais velhos é “uma lógica perdedora”, defende o ministro do Trabalho. Conferência das Nações Unidas reconhece necessidade de integrar os idosos na economia e na sociedade.