Literacia mediática

Prémios PÚBLICO na escola. “Leiam jornais em papel”, pediu o ministro aos jovens

Os prémios do Concurso Nacional de Jornais Escolares foram entregues. “Quanto mais curiosos e melhor informados, mais livres serão os jovens para formarem convicções.”

Promover a literacia mediática, o conhecimento e, ao mesmo tempo, formar jovens mais capazes de ler o mundo e a informação à sua volta: estes são alguns dos objectivos do projecto PÚBLICO na escola que, na manhã desta terça-feira, distinguiu os vencedores do Concurso Nacional de Jornais Escolares — foram 11 jornais, no total, de todo o país, numa edição à qual se candidataram 160 projectos.

O ministro da Educação, João Costa, marcou presença e, no encerramento do evento que decorreu na redacção do PÚBLICO, em Lisboa, lançou um desafio aos jovens portugueses: “Leiam jornais em papel.”

Porquê em papel? “Quando leio apenas no digital leio muito menos porque geralmente vou só às notícias das áreas que me interessam. Quando tenho o jornal em papel leio mais, aprendo mais”, explicou João Costa.

Antes, e sem distinguir jornais digitais ou em papel, uma das coordenadoras do PÚBLICO na escola, Luísa Gonçalves, tinha sublinhado: “Quanto mais curiosos e melhor informados, mais livres serão os jovens para formarem convicções.” É esta, de resto, a mensagem central do PÚBLICO na escola, uma parceria com o Ministério da Educação que conta com o apoio da Fundação Belmiro de Azevedo.

“Um jornal escolar é essencialmente um exercício de liberdade dos mais jovens, é um exercício do direito dos mais jovens a serem escutados, é um exercício de cooperação, porque têm de cooperar entre eles no trabalho em equipa”, descreveu Daniel Carvalho, secretário-geral do Edulog, da Fundação Belmiro de Azevedo. Os jornais escolares são também, concluiu, um exercício de responsabilidade, “porque ao transmitir factos, ou uma opinião, os jovens responsabilizam-se por ela e, creio, é isto que pretendemos dos nossos cidadãos”.

"Uma ajuda no crescimento"

Joana Amaral, 18 anos, e Cristina Lin, 17, do Agrupamento de Escolas Emídio Navarro, em Almada, fizeram parte do grupo de alunos de diferentes pontos do país que estiveram na redacção do PÚBLICO. Receberem o 1.º prémio de Melhor Jornal de Agrupamento com a publicação Mar de Palha. E explicaram que fazer um jornal, na escola, “é uma ajuda a aprender o que é fazer um jornal a sério”, mas é também “uma ajuda no crescimento”.

O ministro da Educação esteve presente no evento e desafiou os jovens a lerem mais jornais em papel Daniel Rocha
Luísa Gonçalves, uma das co-responsáveis pelo PÚBLICO na Escola Daniel Rocha