Fotogaleria

A vida de O.J. Simpson em imagens

O.J. Simpson morreu esta quarta-feira, aos 76 anos. 

O.J. Simpson usa em tribunal as luvas manchadas de sangue encontradas pela polícia de Los Angeles, uma no local do crime e outra em sua casa. Junho de 1995. REUTERS/Sam Mircovich
Fotogaleria
O.J. Simpson usa em tribunal as luvas manchadas de sangue encontradas pela polícia de Los Angeles, uma no local do crime e outra em sua casa. Junho de 1995. REUTERS/Sam Mircovich

Orenthal James Simpson morreu esta quarta-feira, aos 76 anos, vítima de cancro. Apesar do estrelato atingido nos relvados, a vida e memória do antigo jogador de futebol americano ficam marcadas pelas disputas nos tribunais norte-americanos, em particular pelo duplo homicídio de Nicole Brown Simpson, sua ex-mulher, e Ronald Goldman, que continua por esclarecer. 

Os episódios com a justiça norte-americana vão da longa, e lenta, perseguição policial de 17 de Junho de 1994, que se prolongou por quase 100 quilómetros e foi transmitida em directo para uma assistência de 95 milhões de pessoas, ao tamanho das luvas de cabedal no "julgamento do século". 

Simpson acabou por ser ilibado dos crimes, mas seria mais tarde condenado a pagar mais de 33 milhões de dólares às famílias das vítimas, a título compensatório e punitivo mas num processo cível. 

Pode ler mais sobre o antigo atleta aqui: Morreu O.J. Simpson. Estrela do futebol americano e do “julgamento do século” tinha 76 anos

O.J. Simpson com a ex-mulher Nicole Brown Simpson e os dois filhos: Sidney, com nove anos, e Justin, com seis. Março de 1994.
O.J. Simpson com a ex-mulher Nicole Brown Simpson e os dois filhos: Sidney, com nove anos, e Justin, com seis. Março de 1994. REUTERS/Fred Prouser
Antiga estrela da NFL fala aos jornalistas na chegada ao funeral do seu advogado Johnnie Cochran, em Los Angeles. Abril de 2005.
Antiga estrela da NFL fala aos jornalistas na chegada ao funeral do seu advogado Johnnie Cochran, em Los Angeles. Abril de 2005. REUTERS/Fred Prouser
Simpson reage ao veredicto do júri (que o absolveu), ao lado do advogado Yale Galanter, num julgamento por agressão e assalto em desacatos no trânsito, em Miami. Outubro de 2001.
Simpson reage ao veredicto do júri (que o absolveu), ao lado do advogado Yale Galanter, num julgamento por agressão e assalto em desacatos no trânsito, em Miami. Outubro de 2001. REUTERS/Amy Conn
O.J. Simpson celebra veredicto do juiz que o ilibou no caso do duplo homicídio de Nicole Brown Simpson e Ronald Goldman, ao lado dos seus advogados. Outubro de 1995.
O.J. Simpson celebra veredicto do juiz que o ilibou no caso do duplo homicídio de Nicole Brown Simpson e Ronald Goldman, ao lado dos seus advogados. Outubro de 1995. REUTERS/Myung J. Chun
Simpson fala com a irmã, Carmelita Durio, após as últimas intervenções da equipa de defesa no julgamento por sequestro, assalto à mão armada e ofensa à integridade física, em Las Vegas. Mais atrás está a sua filha Arnelle. Outubro de 2008.
Simpson fala com a irmã, Carmelita Durio, após as últimas intervenções da equipa de defesa no julgamento por sequestro, assalto à mão armada e ofensa à integridade física, em Las Vegas. Mais atrás está a sua filha Arnelle. Outubro de 2008. REUTERS/Jae C. Hong
Simpson no tribunal de Las Vegas, durante os argumentos finais dos seus advogados. Acabaria por ser condenado pelos crimes de sequestro, assalto à mão armada e ofensa à integridade física. Outubro de 2008.
Simpson no tribunal de Las Vegas, durante os argumentos finais dos seus advogados. Acabaria por ser condenado pelos crimes de sequestro, assalto à mão armada e ofensa à integridade física. Outubro de 2008. REUTERS/Jae C. Hong
Ex-jogador de futebol americano chega ao tribunal de Las Vegas, a 11 de Janeiro de 2008.
Ex-jogador de futebol americano chega ao tribunal de Las Vegas, a 11 de Janeiro de 2008. REUTERS/Gene Blevins
Simpson chora durante uma das audiências sobre o homicídio de Nicole Brown Simpson e Ronald Goldman, ao lado do advogado Robert Shapiro. Janeiro de 1995.
Simpson chora durante uma das audiências sobre o homicídio de Nicole Brown Simpson e Ronald Goldman, ao lado do advogado Robert Shapiro. Janeiro de 1995. REUTERS/Sam Mircovich
O.J. Simpson, rodeado pela sua equipa de defesa, no julgamento do caso de duplo homicídio, a 29 de Agosto de 1995.
O.J. Simpson, rodeado pela sua equipa de defesa, no julgamento do caso de duplo homicídio, a 29 de Agosto de 1995. Los Angeles Times/Rick Meyer
Jornalistas acompanham antiga estrela da NFL durante uma viagem ao Reino Unido, em Maio de 1996, meses depois de ser absolvido.
Jornalistas acompanham antiga estrela da NFL durante uma viagem ao Reino Unido, em Maio de 1996, meses depois de ser absolvido. REUTERS/KEVIN LAMARQUE
Simpson fala com o advogado Robert Shapiro, numa audiência prévia do julgamento pelo alegado duplo homicídio, em Julho de 1994.
Simpson fala com o advogado Robert Shapiro, numa audiência prévia do julgamento pelo alegado duplo homicídio, em Julho de 1994. REUTERS
Apoiante de O.J. Simpson junto ao tribunal de Santa Monica, California, onde o antigo atleta respondia a um processo movido pelos familiares de Nicole Brown e Ronald Goldman, que o acusavam de ser responsável pelos homicídios. Janeiro de 1997.
Apoiante de O.J. Simpson junto ao tribunal de Santa Monica, California, onde o antigo atleta respondia a um processo movido pelos familiares de Nicole Brown e Ronald Goldman, que o acusavam de ser responsável pelos homicídios. Janeiro de 1997. REUTERS/SAM MIRCOVICH
Jogo de tabuleiro "Play O.J.", lançado depois de ser acusado de duplo homicídio. Março de 1995.
Jogo de tabuleiro "Play O.J.", lançado depois de ser acusado de duplo homicídio. Março de 1995. REUTERS/FRED PROUSER
O.J. Simpson escoltado pela polícia à chegada ao aeroporto de Heathrow, Londres, a 11 de Maio de 1996.
O.J. Simpson escoltado pela polícia à chegada ao aeroporto de Heathrow, Londres, a 11 de Maio de 1996. REUTERS/SIMON KREITEM
New York Post anuncia que Simpson foi absolvido no caso de duplo homicídio, a 3 de Outubro de 1995.
New York Post anuncia que Simpson foi absolvido no caso de duplo homicídio, a 3 de Outubro de 1995. REUTERS/GARY HERSHORN
Fred Goldman, pai de Ron Goldman, à saída do tribunal de Santa Monica, California, com a mulher, Patti Glass, e a filha, Kim Goldman, depois de O.J. Simpson ser condenado a indemnizar as famílias das vítimas, a título compensatório e punitivo no âmbito de um processo cível. Fevereiro de 1997.
Fred Goldman, pai de Ron Goldman, à saída do tribunal de Santa Monica, California, com a mulher, Patti Glass, e a filha, Kim Goldman, depois de O.J. Simpson ser condenado a indemnizar as famílias das vítimas, a título compensatório e punitivo no âmbito de um processo cível. Fevereiro de 1997. REUTERS/SAM MIRCOVICH
Fred Goldman, pai de Ronald Goldman, com a filha, Kim, numa audiência prévia do julgamento pelo alegado duplo homicídio, em Julho de 1994.
Fred Goldman, pai de Ronald Goldman, com a filha, Kim, numa audiência prévia do julgamento pelo alegado duplo homicídio, em Julho de 1994. REUTERS/Lee Celano
Vigília em Los Angeles para assinalar dois anos desde o homicídio de Nicole Brown Simpson e Ron Goldman. Junho de 1996.
Vigília em Los Angeles para assinalar dois anos desde o homicídio de Nicole Brown Simpson e Ron Goldman. Junho de 1996. REUTERS/Axel Koester
Pequenas homenagens deixadas na sepultura de Ronald Goldman, em Fevereiro de 1997.
Pequenas homenagens deixadas na sepultura de Ronald Goldman, em Fevereiro de 1997. REUTERS/LOUIS RAYNOR
O.J. Simpson dirige-se à juíza do tribunal de Las Vegas, antes de ser declarado culpado por 12 crimes, incluindo sequestro e assalto à mão armada. Dezembro de 2008.
O.J. Simpson dirige-se à juíza do tribunal de Las Vegas, antes de ser declarado culpado por 12 crimes, incluindo sequestro e assalto à mão armada. Dezembro de 2008. REUTERS/Issac Brekken
O.J. Simpson sentado junto ao escritor e jornalista Dominick Dunne, num intervalo do julgamento no tribunal de Las Vegas. Setembro de 2008.
O.J. Simpson sentado junto ao escritor e jornalista Dominick Dunne, num intervalo do julgamento no tribunal de Las Vegas. Setembro de 2008. Getty Images/AFP/Isaac Brekken