Trump diz que ameaças a juiz não justificam imposição de silêncio pelos tribunais

Apoiantes de Trump fazem ameaças de morte ao juiz de um julgamento em Nova Iorque. Ex-Presidente dos EUA rejeita responsabilidade e quer continuar a falar em público sobre o responsável.

Foto
Donald Trump numa sessão do julgamento por fraude que está a decorrer em Nova Iorque Reuters/POOL
Ouça este artigo
00:00
04:36

Os advogados de Donald Trump reconhecem, num documento entregue a um tribunal de Nova Iorque, que o juiz nova-iorquino Arthur Engoron, responsável pelo julgamento em que o ex-Presidente dos Estados Unidos e a sua empresa são acusados de fraude, foi alvo de ameaças tão graves que justificam "a aplicação de medidas de segurança adequadas". Apesar disso, os mesmos advogados defendem que Trump não pode ser proibido de falar em público sobre Engoron, a quem já acusou, perante os seus milhões de seguidores nas redes sociais, de ser "um juiz psicopata da esquerda radical".

Os leitores são a força e a vida do jornal

O contributo do PÚBLICO para a vida democrática e cívica do país reside na força da relação que estabelece com os seus leitores.Para continuar a ler este artigo assine o PÚBLICO.Ligue - nos através do 808 200 095 ou envie-nos um email para assinaturas.online@publico.pt.
Sugerir correcção
Ler 5 comentários