Fotogaleria

As seis obras de arte que "aterraram" no Côa, Corredor das Artes

O festival organizado pela Rewilding Portugal acontece durante todo o mês​ de Julho. As peças, mais ou menos efémeras, foram construídas em cinco concelhos da região.

Peça de Michèle Trotta, Imediações do Museu do Côa Fernando Teixeira e Luís Agostinho
Fotogaleria
Peça de Michèle Trotta, Imediações do Museu do Côa Fernando Teixeira e Luís Agostinho

Cinco fins-de-semana tem o mês de Julho e em todos eles há Côa – Corredor das Artes, o festival organizado pela Rewilding Portugal cuja primeira edição acontece em cinco concelhos distintos: Sabugal (de 1 a 4), Almeida (5 a 10), Figueira de Castelo Rodrigo (11 a 16), Pinhel (17 a 23) e Vila Nova de Foz Côa (24 a 30).

O festival conta com diversos espectáculos de música, dança, teatro, circo contemporâneo, arte de rua, showcooking, videperformance e magia, além das oficinas, caminhadas, aulas de desporto, corridas artísticas e visitas de campo e de natureza — durante a semana ainda há tempo para, entre várias propostas, visitas às áreas rewilding, visitas comentadas pelo património histórico da região, mostras de cinema ambiental, observação de vida selvagem, visitas às gravuras rupestres.

Será ainda uma oportunidade para inaugurar as seis peças de arte de grandes dimensões que foram moldadas por seis artistas que estiveram na região em residência entre Abril e Junho deste ano tendo utilizado apenas materiais naturais: Marcelo Moscheta, Rumen Dimitrov, elparo, Antony Lyons, Gaspard Combes e Michèle Trotta.

Trata-se de "um verdadeiro museu de arte ao ar livre" numa região que tem uma "ligação umbilical bem viva e presente entre o património natural e a expressão artística que o representa e mantém vivo".

Peça de Michèle Trotta, Imediações do Museu do Côa
Peça de Michèle Trotta, Imediações do Museu do Côa Fernando Teixeira e Luís Agostinho
Peça de Michèle Trotta, Imediações do Museu do Côa
Peça de Michèle Trotta, Imediações do Museu do Côa Fernando Teixeira e Luís Agostinho
Peça de Michèle Trotta, Imediações do Museu do Côa
Peça de Michèle Trotta, Imediações do Museu do Côa Fernando Teixeira e Luís Agostinho
Peça de Marcelo Moscheta, Área Rewilding do Vale Carapito (Vilar Maior)
Peça de Marcelo Moscheta, Área Rewilding do Vale Carapito (Vilar Maior) Fernando Teixeira e Luís Agostinho
Peça de Marcelo Moscheta, Área Rewilding do Vale Carapito (Vilar Maior)
Peça de Marcelo Moscheta, Área Rewilding do Vale Carapito (Vilar Maior) Fernando Teixeira e Luís Agostinho
Peça de Marcelo Moscheta, Área Rewilding do Vale Carapito (Vilar Maior)
Peça de Marcelo Moscheta, Área Rewilding do Vale Carapito (Vilar Maior) Fernando Teixeira e Luís Agostinho
Peça de Rumen Dimitrov, Praia Fluvial da Devesa
Peça de Rumen Dimitrov, Praia Fluvial da Devesa Fernando Teixeira e Luís Agostinho
Peça de Rumen Dimitrov, Praia Fluvial da Devesa
Peça de Rumen Dimitrov, Praia Fluvial da Devesa Fernando Teixeira e Luís Agostinho
Peça de Rumen Dimitrov, Praia Fluvial da Devesa
Peça de Rumen Dimitrov, Praia Fluvial da Devesa Fernando Teixeira e Luís Agostinho
Peça de elparo, Antigas Termas da Fonte Santa
Peça de elparo, Antigas Termas da Fonte Santa Fernando Teixeira e Luís Agostinho
Peça de elparo, Antigas Termas da Fonte Santa
Peça de elparo, Antigas Termas da Fonte Santa Fernando Teixeira e Luís Agostinho
Peça de elparo, Antigas Termas da Fonte Santa
Peça de elparo, Antigas Termas da Fonte Santa Fernando Teixeira e Luís Agostinho
Peça de elparo, Antigas Termas da Fonte Santa
Peça de elparo, Antigas Termas da Fonte Santa Fernando Teixeira e Luís Agostinho
Peça de Antony Lyons, Reserva da Faia Brava
Peça de Antony Lyons, Reserva da Faia Brava Fernando Teixeira e Luís Agostinho
Peça de Antony Lyons, Reserva da Faia Brava
Peça de Antony Lyons, Reserva da Faia Brava Fernando Teixeira e Luís Agostinho