Misericórdia do Porto censura exposição no Centro Hospitalar Conde de Ferreira

Instalação alusiva ao passado esclavagista do patrono do hospital levou Misericórdia a mandar fechar um dos espaços da mostra Vento (A)mar, de dois artistas brasileiros radicados no Porto.

Foto
Os artistas Dori Nigro e Paulo Pinto na sala que a Misericórdia do Porto mandou fechar ao público já depois de inaugurada a exposição José Sergio

Inaugurada na sexta-feira à tarde no antigo panóptico do hospital Conde de Ferreira, a exposição Vento (A)mar, integrada na Bienal de Fotografia do Porto, estava aberta há cerca de meia hora quando uma das suas salas foi encerrada a mando do administrador executivo deste centro hospitalar tutelado pela Santa Casa da Misericórdia do Porto (SCMP), Ângelo Duarte, que não terá gostado de uma instalação alusiva ao inquestionável passado esclavagista do patrono do hospital.

Os leitores são a força e a vida do jornal

O contributo do PÚBLICO para a vida democrática e cívica do país reside na força da relação que estabelece com os seus leitores.Para continuar a ler este artigo assine o PÚBLICO.Ligue - nos através do 808 200 095 ou envie-nos um email para assinaturas.online@publico.pt.
Sugerir correcção
Ler 9 comentários