Ministério Público abre inquérito a alegados erros denunciados por médica interna

Dos casos relatados de 11 doentes, “três morreram, dois estão internados nos cuidados intermédios, os restantes tiveram lesão corporal associada a erro médico.

Foto
Hospital de Faro Nuno Ferreira Santos

O Ministério Público instaurou um inquérito sobre alegados erros e casos de negligência no serviço de cirurgia do Hospital de Faro denunciados por uma médica interna, anunciou nesta segunda-feira a Procuradoria-Geral da República (PGR).

"Confirma-se a instauração de inquérito relacionado com a matéria em referência. O mesmo corre termos no DIAP [Departamento de Investigação e Acção Penal] de Faro", avançou a PGR à agência Lusa.

Este inquérito surge na sequência da queixa efectuada pela médica interna Diana de Carvalho Pereira, relatada na sua conta na rede social Twitter, na Polícia Judiciária sobre "11 casos ocorridos entre Janeiro e Março" no hospital de Faro de "erro/negligência" no serviço de cirurgia.

Segundo a médica, dos casos relatados de 11 doentes, "três morreram, dois estão internados nos cuidados intermédios, os restantes tiveram lesão corporal associada a erro médico, que variam desde a castração acidental, perda de rins ou necessidade de colostomia para o resto da vida".

A Lusa pediu também uma reacção à Ordem dos Médicos sobre estas denúncias, mas não obteve resposta até ao momento.

Sugerir correcção
Ler 1 comentários