O Estado que guarda as crianças

Mil e quinhentas crianças e jovens vivem há pelo menos seis anos à guarda do Estado. Não tiveram direito a alternativa. Porquê?

Há mais de seis mil crianças e jovens que vivem à guarda do Estado porque as suas famílias biológicas em algum momento passaram a representar um perigo. Muitas vezes, é um perigo que se traduz em agressões físicas, psicológicas, violência doméstica. Mas, na maior parte das vezes, o perigo é a “negligência” — a justificação para a retirada aos pais mais frequentemente referida nos processos destas crianças, como mostra o mais recente relatório da Segurança Social sobre o assunto.

Sugerir correcção
Ler 3 comentários