Há festa no supermercado

Ruído Branco é o pior filme de um realizador que teve começos auspiciosos.

Foto
Catálogo das angústias e das neuroses do homem americano branco e intelectual

Quo vadis, Noah Baumbach? Ruído Branco é o pior filme de um realizador que teve começos auspiciosos (A Lula e a Baleia, Greenberg), mas que parece ter-se perdido na busca de uma “relevância cultural” postiça e artificial — já era o que fazia do precedente Marriage Story um filme bastante enervante. Adaptando um dos mais famosos romances de Don DeLillo (publicado em 1985), Noah Baumbach constrói Ruído Branco como um catálogo das angústias e das neuroses do homem americano branco e intelectual (representado por Adam Driver), que em vários momentos parece uma caricatura das personagens mais caricaturais de Woody Allen.

Sugerir correcção
Comentar