Os “atropelos” da lei da eutanásia

Estes adiamentos mancham o processo, demonstram o incómodo do PS na gestão do tema e contribuem para que o Chega se queixe dos “atropelos”.

O Parlamento adiou esta quarta-feira, pela terceira vez, a votação na especialidade do projecto de lei que descriminaliza a morte medicamente assistida. Uma alteração de última hora, a eliminação de uma alínea sobre a Comissão de Avalização dos Procedimentos Clínicos de Morte Medicamente Assistida, foi o pretexto para que o Chega apresentasse um requerimento com essa intenção, que PS e PSD aprovaram, com base no argumento de que o texto final só foi conhecido na manhã da própria votação.

Sugerir correcção
Ler 23 comentários